quinta-feira, novembro 13, 2008

Minha Mestra


Ela provavelmente não aceitaria tal título, na verdade nem gostaria que eu escrevesse algo desse porte. Apesar de sempre possuir o dom de ensino, ela nunca subestimou seus alunos e me instruiu em temas das Escrituras que ainda não tinham sido explorados por mim. Me fez lembrar e aprofundar temas como Fé X Razão, Criação X Evolução, Criação X Queda. Nunca me esqueci quando recomecei a pensar na antropologia bíblica, origem do universo, e também sobre C. S. Lewis e seus clássicos livros Cristianismo Puro e Simples, Cartas de um Diabo ao seu Aprendiz e o problema do sofrimento, sem contar os livros de Nárnia, em um tempo em que a juventude evangélica não a tinha colocado com status de "O Senhor dos Anéis Cristão".
E quando eu havia pedido livros, mas com exceção que não possuíssem referências à predestinação no sentido calvinista do termo? Sua resposta foi "aqui estão vários livros, eu sei que você não quis saber de predestinação, mas este aqui é pra estudar melhor".
Nunca me esqueci disto, ou pelo menos dos detalhes essenciais de aulas nem um pouco triviais. Nem me esqueci do confronto que levei, quando fui perguntado se era um animal ou homem, coroa da criação. Também ali aprendi que, caso quisesse discordar de um rabino, padre ou pastor, eu teria todo o direito, mas precisaria ter argumentos para objetar.
Com tudo isso também não esqueci que tudo que eu fizesse teria que levar à Glória de Deus.
Foram poucas as mulheres que tanto me influenciaram teologicamente, mas dentre estas ela possui o seu lugar reservado em minha memória e em meu coração. Hoje, certas palavras escritas há pouco ecoam cada vez mais em minha consciência, na educação, suas colocações até hoje me interessam. Em suas reflexões sobre a família, cada vez mais ficam pertinentes com fatos que cada vez mais tenho que confrontar. Esta mulher, sem dúvida foi uma grande mestra(não no sentido que esotérico que essa palavra ganhou ultimamente), uma grande professora. Além dessa justa homenagem, tenho algo a acrescentar: ela sempre repudiou o ministério pastoral feminino.

Para quem não compreendeu o texto acima(ou melhor, seu último trecho, não se preocupe. Em breve, pela graça de Deus, será postado o "segundo tomo" deste artigo.

Soli Deo Gloria

16 comentários:

Nilton Rodolfo disse...

Olha, que legal homenagear a professora do tempo em que eras somente uma criança...hehehe...Falando sério agora, meus irmãos, devemos dar honra às pessoas que merecem, e graças a DEus que Ele sempre põe pessoas para nos ensinar algo de Sua Palavra, e espero que assim como aprendemos muito com nossos professores e amigos, possamos ensinar aos que Deus pôr em nosso caminho. A paz do Senhor a todos!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Amém grande obreiro!

Prg.Tiago David disse...

ola querido a Paz do Senhor...

seu blog esta realmente uma benção servindo de instrumento e luta contra as obras de satanas...

seria um prazer fazer parceria contigo, passe no meu humilde blog e veja se é possivel a parceria...

ate mais
Tiago David

*Eduardo Neves & Firmino Jr.* disse...

Graça e Paz

Olá irmão, estou aqui novamente, mas agora p/ convidá-lo a conhecer o meu mais novo espaço na net (“Graça Diária”); juntamente c/ o irmão Firmino Jr. (companheiro nos tempos de seminário), levaremos aos sedentos e famintos: o Pão e a Água da vida!
Trata-se de um blog onde a santa Palavra do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo será exposta e exortada de forma inteligente!

Espero sua visita e comentário!

Um abraço!
Eduardo Neves e Firmino Jr.

http://vcejesus.blogspot.com

PS.: Adicionei o "Geração que Lamba" nos links!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá Tiago, a Paz do Senhor! Dei uma passada no seu blog. Seria bom que vc me especificasse melhor qual a parceria que voc gostaria de ter, se achar conveniente, pode me enviar por e-mail: victorleonardo76@gmail.com


Grande Eduardo, com certeza estarei dando uma passadinha aí no seu novo blog..um grande abraço!
Obs: obrigado por ter colocado o GQL nos links favoritos

Clébio Lima de Freitas disse...

A Paz do Senhor irmão Victor!

Muito profundo seu relato de convivência com uma mestra assim tão cheia do Espírito Santo! Sabemos que não devemos idolatrar homem algum, mas sempre teremos nossos modelos, alguns com o quais aprendemos a viver como cristãos autênticos. Que pena que esse tipo de mulher que não se deixa levar pela onda extrabíblica do ministério pastoral feminino, algo que a Bíblia e o seu autor, nosso Deus, não aprovam está tão difícil!

O Senho seja contigo, meu amado irmão!

Att,

Clébio Lima de Freitas
clebiolima.blogspot.com

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá amado irmão Clébio, a Paz do Senhor.

Só tenho a agradecer à Deus por essa tão abençoada mulher, e que bom que ela repudia tal ofício extrabíblico.

Um grande abraço!

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Victor, a paz!

Como os mestres(as) são importantes, mas pouco lembrandos! Parabéns pela iniciativa!
Agora esperamos o segundo texto!

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá Gutierres, a Paz do Senhor!

Realmente poucas vezes os mestres(as) são lembrados por seus alunos, ou talvez pouco homenageados. Creio que isso deve mudar.

Em breve estarei escrevendo o segundo ponto deste artigo.

Um grande abraço!

Eduardo Neves disse...

Graça e Paz

Olá irmão, nos próximos meses estarei postando no “Entendes tu o que lês?” sobre a História do Cristianismo!

Vou apontar ligeiramente alguns aspectos da história da igreja, especialmente: evangelização (estratégia da expansão e teologia missionária), política (a relação da igreja com o estado) e culto (desenvolvimento litúrgico e organização formal da igreja).

* IGREJA E CULTO (Novembro-Dezembro)
* IGREJA E POLÍTICA (Janeiro)
* IGREJA E EVANGELIZAÇÃO (Fevereiro)

Será um estudo que tem por finalidade levar nossos amigos leitores a enxergar o grande abismo entre o verdadeiro ideal da igreja cristã e o estado presente de omissão, hierarquização e aburguesamento (com raras exceções).

Necessariamente alguns textos serão controversos. Deles discorde. Essencialmente alguns textos induzirão os nossos pressupostos. A partir destes, discuta. E aos que existirem erros, denuncie!

Agora se alguém reconhecer que os escritos são verdadeiros, não os ignore.

Parabéns pelo seu blog! Espero sua visita e comentário!

Um abraço!
Eduardo Neves.

Ps.: Parabéns pela homenagem, muito bonito!

Mayalu Felix disse...

Olá, gostei muito deste Blog. Vou adicioná-lo aos meus recomendados, lá do meu Blog. No mais, tem um Meme esperando por vocês lá no Blog:

http://mayafelix.blogspot.com/

Um abraço,

Maya

:)

Victor Leonardo Barbosa disse...

Oi Maya, obrigado por sua visita! Que Deus te abençoe!

Que bom que você gostou do GQL, saiba que é bem-vinda aqui. Um grande abraço!

Mayalu Felix disse...

Olá, Victor Leonardo,

Acho que já li algum comentário seu em outros blogs, acho que no "Blog da Norma" ou no "Ó Tempora...", ambos radicalmente calvinistas. Se eu estiver errada, me corrija.

Um abraço,

Maya

:)

Mayalu Felix disse...

Bom, a propósito, eu sou terminantemente contra mulheres se tornarem pastoras. Na verdade, jamais vi um só bom exemplo, e isso tampouco é bíblico. Também não acho que esposa de pastor seja "pastora" por conta do casamento. Ora, de modo equivalente se a esposa do pastor for ministra de louvor, o pastor não será ministro de louvor automaticamente. Deus distribui os dons individualmente, a cada um.

Maya

Victor Leonardo Barbosa disse...

Oi Maya, creio que você tenha me visto no Tempora. Mas eu vi você pela primeira vez no blog da Norma, debatendo fortemente com ela, he he.

Seu pensamento é perfeito Maya. Realmente não há base para mulheres no pastorado, e não creio que isso retire o talento, chamado e dons de alguma mulher empenhada na obra de Cristo.

Um grande abraço!

Mayalu Felix disse...

Ah, pois é, tenho aquele temperamento sangüíneo de Pedro, às vezes minhas discussões são muito acaloradas (até demais), tenho que me esforçar para adquirir domínio próprio...

Não acho, de modo algum, que as mulheres tenham que exercer as mesmas atividades dos homens. Somos diferentes, e isso não implica nem inferioridade nem superioridade por parte de homens ou de mulheres.

Um abraço,

Maya

:)