sábado, maio 16, 2009

Injurias o Sumo Sacerdote? - Uma reflexão sobre Atos 23:1-5


A situação não era das melhores. Paulo finalmente estava diante do sinédrio onde encararia, literalmente, "de frente" os seus opositores. Paulo estaria sendo julgado por seu trabalho apostólico, por pregar que Jesus era o Cristo, apesar de várias pessoas tentando persuadi-lo, pelo Espírito[1], que não fosse para Jerusalém(At 21:1-4), Paulo sabia que era da vontade de Deus que ele deveria padecer e sofrer pelo Seu nome (At 9:15-16; 20:22-24). Depois de várias tribulações, ali estava ele, diante da cúpula judaica. Quando começou a apresentar sua defesa( vrs 23:1), Ananias, o Sumo Sacerdote, mandou baterem-lhe na boca(vrs 2). Tal ato criminoso irritou profundamente o apóstolo, no qual confrontou diretamente Ananias, o chamando de "parede branqueada" (vrs 3), conclamando uma "maldição"[2] sobre o Sumo Sacerdote.

Porém eis que nessa hora, os que estavam ali disseram: "injurias o sumo sacerdote de Deus?" (vrs 4). A resposta de Paulo foi surpreendente: "Não sabia, irmãos, que era o sumo sacerdote; porque está escrito: não dirás mal do príncipe de teu povo". Dentro deste tenso relato, é necessário fazermos importantes considerações.

Explicações: Paulo - Covarde, político ou esperto?

Não há literatura cristã abundante que aborde e explique constantemente a resposta de Paulo ao questionamento feito a ele. A maioria das explicações exegéticas que se dá a este texto é que o Apóstolo não tinha certeza quem era que tinha dado a ordem para lhe bater, pois sofria de um problema físico(Gl 4:13-14, onde as sugestões são as mais variadas, desde malária a problemas de visão, que é a mais aceita por muitos teólogos e hermeneutas cristãos), Por isso, agiu impulsivamente e sem pensar, depois, vendo quem realmente que era o responsável por tal ato, pediu perdão, mostrando assim, um genuíno respeito pela liderança religiosa.

Porém tal explicação, logo à primeira vista, além de ser insuficiente, deixa problemáticas questões ainda em aberto. Ainda que Paulo tivesse um problema de visão, não sabia ele que estava diante de um tribunal, diante de autoridades Judaicas? É extremamente insuficiente a explicação que o problema de visão de Paulo gerou sua dura e violenta resposta, sendo que esta, foi totalmente de acordo com os princípios e atitudes cristãs,além da própria Lei, a quem Paulo estava submisso.

Paulo, conscientemente de que estava em um tribunal para ser julgado, ao ver tamanha injustiça não simplesmente contra a sua pessoa, mas para com a própria lei de Deus irou-se contra Ananias, o sumo sacerdote, sendo que este, como autoridade de máxima importância dentro da comunidade judaica, era o que mais deveria zelar pelo cumprimento da mesma, porém sua atitude, além de absurda, era extremamente depravada e pecaminosa. Segundo os relatos históricos da época, Ananias era um homem ríspido, violento e cruel. O típico exemplo a não ser seguido.

"Este [Ananias] era filho de Nedebeu, político inescrupuloso e avarento, e foi Sumo Sacerdote de 47 a 58 A.D"( Novo Comentário Bíblico F. Davidson).

O Sumo Sacerdote, ao que parece, realmente seguia os passos do pai com louvor. tal homem não seria só seria repreendido dessa forma por paulo, mas Pelo próprio Jesus, é só verificar a semelhança entre a crítica de Paulo neste texto e a de Nosso Senhor em Mateus 23:13-39, quando comparadas, verifica-se que ambas são essencialmente idênticas.

A crítica de Paulo, além de biblicamente verdadeira, nos leva a considerar seu tom profético: A frase "Deus te ferirá", nos versículo 3 realmente foi cumprida na vida deste homem, assassinado violentamente durante o cerco de Jerusalém.

Mas então surge a pergunta: qual o sentido da explicação do Apóstolo? teria Paulo, por medo ou covardia, definhado de sua confrontação? Ou então para escapar de uma posição condenação, Paulo pensou duas vezes e se desculpou por tal ato cometido, alegando ignorância? Tais proposições simplesmente ferem o caráter de Paulo, o desqualificam como apóstolo e o revelam como alguém não digno de ser considerado um imitador de Cristo, além de tal retrato, ser totalmente alheio ao caráter de Paulo revelado nas Escrituras.

Paulo não temia a ofensas dos homens, nem procurava agradá-los para proveito próprio.

"Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? se estivesse agradando aos homens, não seria servo de Cristo" ( Gl 1:10)

Paulo também não tinha sua vida como preciosa, o que lhe importava era glorificar o nome de Cristo, ainda que no sofrimento.

"E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, senão o que o Espírito santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho minha vida por preciosa, conquanto que cumpra com alegria carreira,e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus" ( At 20:22-24)


Paulo, ao afirmar que não sabia que o tal era Sumo Sacerdote, faz uma citação de Êxodo 22:28:

"A Deus não amaldiçoarás, e o príncipe dentre o teu povo não maldirás"

O contexto de Êxodo revela o respeito, carinho e zelo que devemos ter por Deus e pelos governantes. O que se exige aqui é um respeito, onde a difamação jamais é tolerada, mas sim, expurgada. Porém o que Paulo fala aqui não deve ser interpretada como uma atitude de rebelião para com a autoridade estabelecida. Por isso, conclui-se que Paulo, ao dizer tais palavras, nada mais estava revelando que não reconhecia Ananias como um verdadeiro líder espiritual, sendo este um líder fútil e corruptor da Lei Hebraica. Paulo sabia que estava sendo julgado por alguém considerado como autoridade suprema, Paulo, um judeu versado nas escritos e como fariseu treinado, sabia que a mais alta autoriade era um Sumo Sacerdote. Porém Paulo não via neste homem a qualificação e o preparo para tal posto.

Conclusão: A face de três homens; Paulo, Ananias e a Cúpula Judaica.

A realidade deste texto nos mostra uma profunda verdade até hoje enraizada não somente mo mundo judaico neotestamentário, mas na própria igreja cristã atual.

Quantos Ananias temos disponíveis hoje? muitos, é bem verdade; homens brutais e violentos, porém belos como parede pintadas de branco. No fundo, revelam serem agressivos, avarentos e hipócritas. Quantos homens como os da cúpula judaica atual, que cercam os Ananias da vida, estão tão cegos em suas responsabilidades para com a palavra do Senhor, que ao invés de atentarem par a sua Lei, focalizam suas pálpebras no grande Sumo Sacerdote? estabelecido por Deus, intocável e absoluto? Tais homens estão dispostos a esbofetearem quem quer que seja, basta apenas o sacerdote mandar, caso alguém retruque, a pergunta a ser feita é: "injurias o Sumo sacerdote? a quem Deus estabeleceu?" tal pergunta também pode ser aplicada dessa forma: "Injurias o ungido de Deus? a quem o Próprio estabeleceu como um pregador de nações?".

É dever do povo de Deus, respeitar, amar e zelar por seus líderes(Êxodo 22:28, Hebreus 13:17). porém tais ingredientes precisam serem aplicados em homens verdadeiramente chamados por Deus e dispostos a viver para Ele e a para a promoção de Sua Glória. Quando tais homens não possuem o requisito para tal, o dever no mínimo, após amorosas admoestações,é se afastar dos tais, pois assim como vivem, possivelmente também irão proclamar astúcias e justificações heréticas para tal(Tt 3:10), e no máximo, combatê-los (Jd 3, Ap 2:2).

E é dever de todo o cristão atentar para a vida do homem que estava presente naquele tribunal. A pergunta que permanece, principalmente nos dias de hoje, do cristianismo fácil e simples, juvenil, cultural e descomplicado, é: quem gostaria de ser igual a este homem? Quantos homens iguais a este temos disponíveis hoje? desprezado por muitos, rejeitado por vários, odiado por milhares e...conhecido[amado] por Deus!

"Não dando nós escânda-lo em coisa alguma, para que nosso ministério não seja censurado; antes, como ministros de Deus, tronando-nos recomendáveis em tudo;

Na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias, Nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns,

Na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido,


Na Palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, à direita e á esquerda,


Por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama; como enganadores, e sendo verdadeiros;


Como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos; como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos;


Como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo e possuindo tudo
." (2 Co 6: 3-13)

Mesmo que quando as densas nuvens, repletas de trevas possam nos aflingir, mesmo quando toda a perseguição e as mais variadas formas de tribulação e angústia virem sobre nós; que possamos, assim como este homem, fincar cada vez mais nosso pés na Rocha. E que sua voz possa ecoar em nosso coração:

" Mas em nada tenho minha vida como preciosa..."

Amém!

Soli Deo Gloria

Notas:

[1] Muitos cristão sinceros acabam por entrarem em dúvidas com relação a atitude de Paulo de ir a Jerusalém, sendo que os próprios irmãos pediam, pelo Espírito Santo, que Paulo fosse para Jerusalém. Wayne Grudem, no livro O Dom de Profecia (Editora Vida) nos fornece uma abalizada explicação para isso: "Suponha que alguns cristãos de Tiro tiveram algum tipo de 'revelação' ou indicação de Deus sobre os sofrimentos que Paulo enfrentaria em Jerusalém. Então, teria sido bem natural para eles ligar a profecia subseqüente (o relato da revelação) com sua interpretação(errada) e, assim, advertir Paulo a não ir". Em outras palavras, o que aconteceu ali, na verdade, fora apenas uma revelação do que aconteceria com Paulo, porém a interpretação dessa revelação era errada. pois com o próprio Paulo sabia, era da vontade de Deus que ele fosse para Jerusalém. Tal fato se confirma quando, após o julgamento de paulo, Jesus o encoraja a continuar(At 23:11).

[2] não estou associando este termo à doutrina do poder das palavras, algo apregoado pelos seguidores da Confissão Positiva. Na verdade, Paulo apenas fala a Ananias uma lógica conseqüência por desobedecer a lei de Deus.

6 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Pelo que a gente anda vendo, está tendo alguns "sumo-sacerdotes" por aí do mesmo nível ou até pior do que este a que Paulo se dirigiu.

Abraço.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá irmão Juber, a Paz do Senhor!

com relação aos novos sumo sacerdotes, realmente, uma nova safra está surgindo, cada um fazendo escola com o "grande" Ananias, infelizmente...

Um forte abraço e Deus lhe abençoe!!!

EDILSON VALDECI disse...

Estamos vivendo momentos em que a Igreja (Templo ), tem alguns sumo sarcedotes,intitulando-se donos da Igreja (Ovelhas), traçando por suas leis severas o modo em que se deve andar. Como escreveu o nosso querido Juber homens com atitudes piores que a de Ananias.Parabéns pelo maravilhoso blog e post.

Que a graça de Cristo continue transbordando sobre as vossas vidas.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Irmão Edson, obrigado por suas palavras e apoio.

Realmente, há muitos neste estilo dentro da igreja, não atentando para quem verdadeiramente é o Pastor das ovelhas.

Um forte abraço e Deus lhe abençoe!

Arlindo Valentim disse...

A igreja do Senhor esta sofrendo com esses Ananias por ai só a graça d Deus sobre nossa vida para lutar contra tal estranhesa desse tipo .

paulo roberto disse...

ótimo comentário muito esclarecedor