sexta-feira, agosto 24, 2012

Você Obedece aos Estatutos? (Parte 2)


"Portanto, guardareis o meu mandado, não fazendo nenhum dos estatutos abomináveis que se fizeram antes de vós, e não vos contamineis com eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus" (Levítico 18.30).

No texto "Você Obedece aos Estatutos (Parte 1)?" eu tentei mostrar que todas as pessoas são obedientes a um corpo de ensinamentos e conceitos - o que denotei como sendo os estatutos. Sejam tais estatutos bons ou ruins, morais ou imorais, corretos ou errados: cada indíviduo nesta Terra os segue.

Isto me chama muito à atenção, porque na época do povo de Israel não era diferente. Se você ler os capítulos 18 e 19 (eu sugiro que você os leia) do livro de Levítico, você verá Deus proibindo o povo hebreu de cometer as abominações que o povo do Egito e os povos de Canaã cometiam. Alguns exemplos dessas imundícies nas quais os outros povos se envolviam são: descobrir a nudez de qualquer parenta, pai, mãe, madrasta, irmã, filho, neta; ou da tia, tio, nora e irmão. Além disso, deitar-se com a mulher do próximo; ou deitar-se com homem, como se fosse mulher (abominação é); e até mesmo deitar-se com um animal.

O pastor pentecostal Donald Stamps comenta o seguinte acerca do termo bíblico "descobrir a sua nudez":

"'Descobrir a sua nudez', abrange tudo o que se refere à práticas sexuais impuras e ilícitas. Isso inclui práticas aproximadas do ato sexual consumado. Qualquer tipo de prática sexual que resulta em descobrir, expor, ou ver a nudez de alguém que não seja seu legítimo cônjuge, viola as fronteiras da pureza e comete pecado grave diante de Deus."[1]

Creio que é muito importante entendermos que todas estas coisas proibidas pelo Senhor não são de outro mundo, e sim práticas de povos que estiveram ou ainda estariam no caminho do povo eleito de Deus. Porquanto isto mostra que o Senhor Deus não está tratando de abominações com um povo inocente e puro que nem sequer tem noção do que elas sejam. Pelo contrário, o povo de Israel conviveu com os egípcios durante 400 anos de escravidão - e no contexto de Levítico 18, ele ainda é recém-liberto!

Portanto, vejamos a seriedade dos mandamentos do Senhor para o seu povo. Porque, sem dúvida alguma, nestes 400 anos de escravidão o povo teve algum tipo de contato com o estilo de vida depravado dos egípcios; seja ouvindo sobre práticas perversas, vendo-as ou até mesmo se envolvendo nelas ativamente. E, então, durante a sua escravidão, a mente dos hebreus estava sendo quase que moldada pelas deturpações vistas no Egito. O que era pecado contra o Senhor, devido ao passar do tempo, estava se tornando algo comum para os descendentes de Abraão.

Entretanto, Deus não abandonou o Seu povo. De modo que Ele libertou os hebreus do Egito e os conduziu pelo deserto à terra prometida - a qual mana leite e mel. Neste contexto, leiamos o que Deus declara ao povo:

"Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Eu sou o SENHOR, vosso Deus. Não fareis segundo as obras da terra do Egito, em que habitastes, nem fareis segundo as obras da terra de canaã, para a qual eu vos levo, nem andareis nos seus estatutos. Fareis conforme os meus juízos e os meus estatutos guardareis; para andardes neles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus."[2]

O deserto é o lugar no qual o Senhor Deus opera grandemente no Seu povo. Ele instrui a cada hebreu segundo os Seus estatutos, os quais são puros e perfeitos - o que se constitui uma oposição direta aos estatutos abomináveis dos outros povos. E neste processo de condução do povo à terra prometida, está o processo de santificação da mente de seus eleitos e, portanto, a mortificação dos resquícios do que lhes fora ensinado durante a escravidão.

Meus irmãos, isto deve ser motivo de grande alegria em nosso meio. Pois sabemos que este mundo é pervertido e depravado - ele jaz no maligno... E infelizmente cada um de nós já teve contato com ele. A nossa mente foi formada a partir de conceitos mundanos ventilados pela TV, cinema, internet... Fomos criados num mundo sujo que nos ensinou de maneira deturpada o conceito de coisas preciosas, como: felicidade, prazer, amor e, principalmente, sexo. Pois o maligno nos fez pensar que estas coisas podem se relacionar com harmonia fora da pureza, do compromisso e da fidelidade do santo matrimônio.

Crescemos num mundo que não pensa em Deus. Na verdade, tudo o que é possível fazer para ocupar a mente a fim de não pensar em Deus o mundo o faz: a louca busca por divertimentos, futilidades e coisas afins são exemplo disso. Cada um de nós cresceu obedecendo aos podres estatutos que nos ensinaram; e o pior de tudo, nós amávamos esta podridão! Éramos legítimos escravos do pecado...

Alguns de nós ouviram falar de relações sexuais ilícitas: homem deitando-se com homem ou com um animal; ou então um homem deitando-se com uma mulher que não é a sua esposa - a qual para ele não passa de mais um objeto sem sentimentos, descartável, que lhe gera um pouco de prazer... Mas alguns de nós não somente ouviram falar, e sim, também viram tais perversões. E, infelizmente, alguns de nós foi até mais fundo nestes pecado: além de ouvir e ver, praticaram-no ativamente...

Por isso, cada um de nós (sem exceção) já teve algum tipo de contato com este mundo imundo perante o Santo Deus. Inclusive este que vos escreve já cometeu muitas coisas das quais tem vergonha (eu pequei contra o Santo de Israel)... Entretanto, amados, atentem bem para o que Deus fez com o Seu povo eleito. Pois assim como Ele resgatou os hebreus da terra do Egito, da casa da servidão; Ele resgata deste mundo perverso cada crente em Jesus Cristo! E à semelhança do passado, o Senhor instrui segundo a Sua santa Palavra cada um dos salvos em Cristo.

Sabe de uma coisa? Se você está em Cristo, você é uma nova criatura e "as coisas velhas já passaram e eis que tudo se fez novo"[3]. Há perdão no sangue de Jesus! Mesmo que você tenha mergulhado no mais fundo buraco de iniquidade deste mundo, e lá tenha cometido as piores abominações contra a santidade de Deus; se você se arrepender de seus pecados e crer em Cristo (e nEle somente) para a salvação, você não será um mero cristão com um passado terrível. Não. Pois se você for até Cristo, você será regenerado: você será uma nova criatura! E sabe no que isto implica? Implica que cada pecado seu foi coberto e afogado pelo sangue de Jesus. De maneira tal, que Deus lançou cada iniquidade sua no mar do esquecimento. Ele não se lembra mais deles - tudo graças à perfeita obra de Cristo na cruz do calvário!

Portanto, irmãos, que Deus nos dê diaramente de Sua maravilhosa graça para que vivamos para a Sua glória. Não mais como escravos do pecado, e sim como libertos em Cristo Jesus, o nosso Salvador e Senhor. Andando conforme os santos estatutos do Senhor, não baseados em nós mesmos, mas em Cristo e capacitados por Seu Santo Espírito que habita em nós.

Oro para que o Senhor nos faça pensar as coisas da vida conforme a Sua Palavra, e não conforme os conceitos errados que outrora ouvimos no mundo. Que isto seja intenso em nossas vidas desde como comer e beber até como relacionar-se em pureza perante Deus e os homens no santo matrimônio. Que nós amemos o casamento e zelemos por ele cada dia de nossas vidas! E que abominemos a pornografia, a prostituição, a pedofilia, o homossexualismo e todas as demais formas que a perversão sexual se manifesta em nossos dias. Que Deus nos guarde.

Termino com as maravilhosas palavras da oração do Senhor Jesus, e o grande chamado do apóstolo Paulo a nós:

"Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade."[4]

"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus."[5]

Que Deus seja glorificado.

Notas:
[1] Fonte: Bíblia de Estudo Pentecostal.
[2] Lv 18.2-4.
[3] 2 Co 5.17.
[4] Jo 17.14-17.
[5] Rm 12.1-2

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.