sábado, abril 21, 2018

A necessidade do choro diante da morte

"Jesus chorou", relata o apóstolo João [1]. E isto é desconcertante. Muito. Para nós que vivemos em uma geração que despreza o choro, a atitude do Senhor Jesus diante da realidade da morte de Lázaro é perturbadora. Afinal, por que Jesus chorou -- visto que ele sabia de que Lázaro ressuscitaria a alguns minutos?

Pense comigo. Segundo os sermões fúnebres que são comumente ministrados em muitas das igrejas frequentadas por nós, Jesus não teria razão alguma para chorar.

Por que Jesus age contrariamente ao padrão de muitos pastores modernos que nem aparentam contrição? Por que o Senhor Jesus moveu-se intimamente em face da tristeza de Maria e das pessoas que a acompanhavam [2], mesmo depois de ter falado à Marta que Lázaro ressuscitaria [3]? A razão é simples: a morte é uma desgraça. A morte é consequência da desobediência de nosso pai Adão [4]. Assim, ela não faz parte do propósito original de Deus para o homem.

Diante disso, necessitamos reafirmar a malignidade da morte e a realidade dela como intrusa na criação. Porque, quer queiramos ou não, apenas refletindo acerca do sofrimento resultante da morte de cada ser humano, poderemos contemplar o poder do Senhor Jesus como Redentor. Ele veio para desfazer as obras do diabo e para aniquilar a morte. A morte é a última inimiga a ser vencida por Ele [5].

O choro de um cristão não deve ser desprovido de esperança, mas também não deve ser trivial. Na verdade, o choro de um cristão tem de testemunhar de boa teologia. Como dizem as sagradas Escrituras: "Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram." [6]

Por isso, precisamos imitar a atitude do Senhor Jesus. Para tal, precisamos de bom entendimento de como a morte se relaciona com a criação, queda, redenção e consumação. Lembrando-nos de que a má teologia não é capaz de consolar. Seja pela trivialização da morte (enfatizando a ressurreição em demasia) ou pelo desespero diante dela (enfatizando a queda demasiadamente), a péssima teologia não pode dar o quadro geral para quem chora.

No entanto, a boa teologia permite que os cristãos chorem uns com os outros, tal como ensinado pelo apóstolo Paulo. Não falo de simplesmente mandar mensagens de pêsames no Facebook; falo de estar junto com o que chora, em carne e osso. Apenas assim, estaremos verdadeiramente chorando com os que choram e testemunhando de teologia saudável.

Que Deus seja glorificado.


Referências:

[1] Jo 11.35.
[2] Jo 11.33.
[3] Jo 11.23.
[4] Rm 5.12.
[5] 1 Co 15.26.
[6] Rm 12.15.

Nenhum comentário: