terça-feira, setembro 11, 2007

O Outro Lado de um Congresso (O Mundo que Eu Vi, parte 2)




Lá estava eu, lutando para chegar antes da chuva no templo-central da Assembléia de Deus em Belém, pois ali haveria a segunda edição de um famoso congresso de adolescentes promovido pela missão regional que trabalha com adolescentes na cidade, com sede no templo central, a MCAD. Durante certo tempo trabalhei como supervisor geral e articulista do jornal da missão, que depois foi acoplado ao projeto de mídia integrada, que infelizmente ainda não andou como deveria. Porém, devido a certos processos que não convém explicar (pelo menos não agora), fui transferido para a Missão Jovem, onde fiquei sem “por a mão no arado” por vários meses (que para mim pareceu um longo tempo), porém um companheiro que tinha trabalhado comigo pediu-me certo auxilio para o congresso, pois ele se tornara líder e precisava de certa ajuda na área de mídia, que eu fazia parte tempo atrás, aceitei com certo receio, porém depois fui sem pestanejar.
Apesar de eu saber o que me esperava, busquei fazer com carinho e com certas técnicas de filmagem que aprendi na faculdade, além do que decidir fazer, como jornalista, a cobertura desse evento.
Vi coisas muito boas neste congresso, como por exemplo, a determinação das equipes de líderes e liderados. A vontade de Salvação pelas almas perdidas, a boa-vontade em fazer a obra de Deus, o sacrifício prestado e ouros pontos de comunhão feitos neste congresso merecem meu apoio e admiração pela causa de Deus.
Porém uma verdade não esconde outra verdade.
Entre uma pausa entre uma filmagem e outra, falei com Carlos Eduardo, que estava envolvido no evento:
- E aí, tudo certo?
- Ta difícil - respondeu Carlos, com um ar que misturava cansaço e preocupação.
- Qual é o problema?
- Os adolescentes estão fazendo um inferno no elevador.
Lá estava eu e Cadu correndo atrás de algumas “crianças peraltas” que brincavam entre os elevadores do templo, e depois caçamos certos casais em busca de beijos, abraços, e quem sabe, uma aula de anatomia.
Nesse evento havia de tudo, desde danças coreográficas a Música Rock “Cristã”.
Ah. Mas também houve o momento do “louvorzão” durante as noites onde havia o “culto” a Cristo. Para falar a verdade, não houve nada de mais, apenas adolescentes se atirando perto do púlpito na hora das canções “animadas” e “bem adolescentes” e gritando e tendo momentos de certa histeria emocional (é bem provável que me chamem de frio e coração duro depois dessas afirmações), onde, na terceira noite do evento, uma menina pequena estava tropeçou, já estava sendo chutada e prestes a ser pisoteada por adolescentes “cheios do fogo” (provavelmente o mesmo fogo estranho ofertado pelos filhos de Arão). Houve também alguém totalmente coberto de branco tocando um Shofar para atrair a presença do Senhor, isso na primeiro dia de abertura. Ah, também teve adolescentes dançando em pé nos bancos da igreja, Unção do riso e intensa gritaria(já no terceiro e último dia), Regaae que lembrava o som de Bob Marley (apesar de ele ser mestre neste tipo de música). Sim, também houve certo choro e sim, creio eu que houve uma determinada conversão legítima por parte de determinadas pessoas, um choro sincero. Porém isso não anula, nem justifica a triste perda de identidade que nossa igreja está sofrendo cada vez mais. Estamos vendo uma guerra de opostos brutais: de um lado, temos a turma do “reteté”, de onde sai muito farisaísmo, misticismo, modismos e uma cultura subpentecostal, onde o que reina são absurdos doutrinários e teológicos. Do outro lado da trincheira, temos uma geração traumatizada com os “mestres do passado” tiranos e cruéis, que, na visão deles, proibiam a tudo e a todos, por isso é necessário termos “estratégias de Deus” para alcançar uma faixa adolescente.
Lembro-me de John Macarthur Junior, quando ele dá um golpe certeiro em um de seus livros, a frase é mais ou menos assim: “utilizar traumas do passado para solucionar questões do presente não muda a situação”. O que Macarthur falou é uma verdade. O fato de nossos pais terem sido proibitivos demais não justifica o fato de passarmos por cima de tudo de bom que eles nos ensinaram pela Palavra de Deus. Hoje, a juventude assembleiana está cada vez mais tendo vínculos com outras denominações, em especial as neopentecostais, absorvendo praticamente todo o tipo de doutrina, onde a Confissão Positiva é a dominante. Também temos as doutrinas como as promovidas pelo movimento de Toronto, que enfatiza unção do riso (uma prática totalmente alheia ao ensino bíblico), o “cair no Espírito”, onde afirma que uma pessoa, tomada pelo poder de Deus, pode cair e ficar inconsciente, algo totalmente alheio às manifestações do Espírito mostradas em 1 Coríntios.
Hoje vemos uma geração cada vez mais sendo tomada pelas emoções e esquecendo que o culto a Deus, apesar de envolver grandemente nossos sentimentos, é racional ( Rm 12:1), e que adoração, é essencialmente muito mais obediência do que gratidão e oferta, e envolve observância dos preceitos de Deus, ou seja, adoração é estabelecida pelo próprio Deus e é revelada nas páginas das Sagradas Escrituras, segue-se que imaginações, doutrinas e preceitos de homens são duramente refutados( Dt 12:32, se possível leia todo o capítulo, e também Colosssenses 2:18-23).
Talvez o momento mais triste para mim foi no momento onde buscava-se sugestões por parte de adolescentes sobre o futuro programa que estreará na Rede Boas Novas, chamado “Hiper Ativo”. Em todas as sugestões dadas, eram aplausos e assobios: “ Eu gostaria que tivesse muitos filmes”, “VIIVVIIIVVVAAA!!!!”, “eu gostaria que tivessem muitas entrevistas com cantores famosos” “AAAHHHHEEEHHHH”, “eu gostaria que se falasse sobre profissões” “EEEEHHHHHEEHH”. Até que uma voz destoou do som uníssono: “bem, eu gostaria que houvesse... PALAVRA DE DEUS, ONDE ENSINARIAM OS ADOLESCENTES A VIVER...”, “.........eh.....”.
Para mim, foi o momento mais triste e lamentável do congresso.
Citando Roger Olson, se alguém tiver Deus, mas não tiver sua Palavra, não tem Deus nenhum, se alguém buscar a Deus fora de Sua Palavra e acima de tudo a Jesus Cristo vai encontrar o diabo e não Deus. Sim, haverá tempo em que muitos buscarão ouvir a Palavra de Deus com fome dela, mas onde ela estará? Por acaso ela não dura eternamente? Sim certamente, porém muitos a buscarão e não a acharão. Ela desaparecerá de muitos de nossos púlpitos e de nossas salas. Todavia, não podemos culpar a Deus pela nossa própria negligência, ainda há muito a ser feito, e por mais que ela desapareça de nossos púlpitos, ela ainda aparecerá!!! Jesus está voltando, por isso, trabalhemos mais e mais e não sejamos como os tessalonicensses.
É bastante triste para mim escrever essas palavras, afinal muitos ali presentes são conhecidos e amigos em que eu estimo bem. Mas a verdade não pode ser negligenciada, e infelizmente(ou felzimente) por mais duro que seja é necessário falar tais coisas. Há muito que s e pode fazer por um congresso, sem necessariamente transgredir a Palavra de Deus e não cair no emocionalismo barato.
Soube por meio do rádio, antes de terminar este artigo, em um programa de que não me lembro o nome, sobre uma adolescente que participou do congresso e quer mudar de denominação. Outra adolescente ligou para a rádio afirmando que o congresso era uma benção e por isso talvez tenha sido algo que ela tenha visto.
É...talvez...tenha sido o mundo que ela viu.
Alguém poderá objetar: “Mas Victor... tu queres tirar as músicas, as barulheiras, o Shofar, os ritmos alucinantes, as unções, o que vais querer dar para eles, para suprir a vida espiritual de jovem povo?”
Bem eu responderia: “a única coisa que e realmente me preencheu verdadeiramente, está acima de qualquer ritmo, música, ou modismo do povo, que seria...”.

“CRISTO”
Soli Deo Gloria

14 comentários:

Nilton Rodolfo disse...

Muito bom falarmos sobre o congresso.Mas,estou um pouco sem tempo para discurtirmos(estou em época de provas)...Mas logo estarei postando meu novo artigo e comentando este artigo do Victor.Vamos ver o que foi bom e o que não foi.abraço

Eliseu Antonio Gomes disse...

Prezado Victor.

No Novo Testamento, por mais incrível que possa parecer, a carta que mais menciona o assunto dos dons espirituais é a escrita por Paulo a mais carnal delas: a congregação de Corinto.

Talvez, dizem alguns, que seja como uma vacina contra a uma doença... Mas não, o antídoto do veneno é mais importante que os nove dons... O amor! Muito bem descrito e inserido entre os capítulos 12 e 14 da primeira carta do apóstolo Paulo aos crentes coríntios, que justamente comenta sobre os dons espirituais.

Digo isso porque somos pentecostais. De nada adianta crer no pentecoste se relegamos o amor ao segundo plano.

Os jovens crescem ouvindo línguas estranhas e vendo cismas, vendo seus pais digladiando contra outros irmãos por cargos e posições eclesiásticas (faço menção ao episódio da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil - Anhembi - SP)... O resultado está aí: jovens namorando em pleno horário de culto e sem interesse em aprender e viver a inteireza da Palavra de Deus.

O mesmo apóstolo Paulo ensina que nós somos como "cartas lidas". A juventude nos lê! Ela está lendo dissensões, iras, pelejas...

Isso não edifica!

Também escrevo com tristeza, pois essa cena de adolescentes tem sido corriqueira. Presencio, também, com mais intensidade dia após dias. Diáconos que tentam impedir o namorico são taxados de “estraga-prazeres”.

Infelizmente.

Desculpe-me, penso assim...


Eliseu Antonio Gomes

Vitor Hugo da SIlva disse...

A paz do Senhor Victor!

Realmente é uma tristeza o que tem ocorrido em nossas igrejas. Boa parte da culpa disto tudo, está ligada aos atuais líderes, ou seja, não tem como uma mocidade e adolescentes possuírem uma saúde espiritual, se os seus líderes estão estragados. É o reflexo de uma liderança desenfreada e sem conhecimento bíblico - vamos lá, podem até conhecer a bíblia - porém, não a vivem.

Não concordo em colocar a culpa nos pais, pois graças ao zelo deles - mesmo que as vezes extremistas - possuímos uma visão mais conservadora da conduta cristã. Um erro não justifica o outro, não podemos nos espelhar nos erros de nossos pais, se assim fosse todos os filhos de pais viciados, deveriam ser viciados; o que não é o caso!

Você mencionou algo de uma valia sem igual:

´´juventude assembleiana está cada vez mais tendo vínculos com outras denominações``

Esta é a raiz de toda esta miscelânea. Não que não devemos ter contato com outras igrejas, pelo contrário devemos, sim! Porém, devemos sempre ter guardado em nossos corações que o Senhor chamou a Assembléia de Deus de uma forma diferente. Assim como os batistas, presbiterianos, metodistas acreditam que Deus os chamou.´

Volto a repetir: A culpa não está ligada aos nossos pais, mas sim em nossas lideranças. Líderes que não ensinam um limite, ou até mesmo ensinam, porém, não cobram.

Repito: Possuímos esta maneira sã, sadia, ortodoxa, conservadora, e temperada, graças aos nossos pais e antigos irmãos da Assembleía de Deus, que por mais que fossem extremistas, nos ensinaram a ter ZELO pela obra do Senhor e zela pela nossa conduta.

Deus abençoe!
Vitor Hugo.

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Tenho a mesma preocupação com a nossa juventude assembleiana. Vejo muitos dos nossos amigos da mocidade, se espelhar em líderes neopentecostais e cantores sem conteúdo. Quantos não imitam como um papagaio os cantores e super-pregadores? Quantos não vão a ED, mas não perdem uns congressos de missões, que não falam de missões? Quantos não estão comprometidos com um "evangelho do entretenimento"?
Os modismos neopentecostais atinge em cheio a juventude. Como jovens, precismos fazer a nossa parte, como apologistas da juventude.
Que Deus continue abençoando você Vitor e o pessoal ortodoxo do GQL!

Paulo Silvano disse...

Caro Vitor,
O seu zelo é admirável, continue fazendo a sua crítica responsável sem, contudo, se deixar ser consumido na alma. A nossa indignação não pode adoecer o nosso coração. Conteste, seja leal às suas convicções, mas não se permita tornar amargo e sem misericórdia. Creio que podemos ser firmes e constantes sem perder a doçura. Embora Jesus fosse irredutível com os escribas e fariseus estava sempre de boa vontade com gente como Pedro, por exemplo.

Um abraço,
pr Paulo Silvano

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Olá Victor Leonardo!
Tenho passado diariamente por aqui, mas estava sem tempo para postar comentário!
Parabéns pelo equilíbrio de suas considerações.
As críticas são moderadas e sem qualquer ranço de radicalismo.
Vamos orar para que o Senhor nos dê sabedoria e discernimento espiritual para colaborarmos em tão dificultoso processo.

Eveline disse...

Olá! Estou aqui pela primeira vez. Concordo com o pensamento de John Macarthur Junior “utilizar traumas do passado para solucionar questões do presente não muda a situação”. Que Deus nos dê graça, sabedoria e discernimento para nos mantermos firmes, fundamentados única e exclusivamente em sua Palavra.

Pr. Levi disse...

Preclaro irmão, fiquei atônito diante a estes relatos. Quanto as suas colocações, vejo que existe equilíbrio e moderação como homem de Deus, que não se embaraçam com os negócios deste mundo, mais despojados com a VERDADE da PALAVRA DE DEUS, e compromissados com ELE rebate com coragem as inovações e modismos, que de forma sorrateira corrompem os bons constumes. Pedro em sua 2 carta no capítulo 2 e parte "a" do versículo 1, alerta: Houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição".
Que Deus lhe abençoe grandemente.
Um forte abraço e saudações em Cristo Jesus.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Caros amigos Nilton E eliseu.
Obrigado por sua participação no GQL, e caro amigo Nilton, espero ansiosamente o seu novo artigo, que parece ser muito bom.

Olá Eliseu, primeiramente não precisa se desculpar por nada, e sinceramente conordo com você com oas absurdos existentes nas convenções, onde há muita ganância e busca pelo poder. todavia, em nehum momento o GQL estará querendo ser facciosos ou cismático, pelo contrário, estamos apenas querendo alertar os líderes de nossa cidade e país quanto aos absurdos doutrinários que estão cada vez mais descaracterizando a identidade assembleiana.
Em nenhum omento negamos o amor ao próximo, porém Graça sem verdade não adianta e não ppodemos confundir amor com sentimentalismo.
Continue sempre com a gente e postando, seu comentário é importante.
Abraços ePaz do Senhor!!!!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Caros amigos Vitor e Gutierres

Olá xará, obrigado pela participação no blog. É verdade xará, infelzmente há muitos líderes descompromissados, ainda que sem querer, com a Palavra da verdade.
Em nenhum momento coloco a culpa nos pais, apenas quis reproduzir os pensamentos da juventude atual. porém é verdae que eles era muito rigorosos em alguns aspectos, mas em nenhum momento quero afirmar que a culpa é simplesmente deles, apenas quis responder a essas indagações utilizando o mesmo raciocinio deles. infelizmente muito ficaram traumatizados, porém nessa rebeldia o trauma só é a ponta do iceberg muito maior e influenciado por outros fatores, como por exmplo o mundo, a carne e o diabo.

Gutierres, sua colocação foi perfeita, isso é o que eu vejo muitas vezes, a escola dominical sendo cada evz mais negligenciada e colocada de lado. devemos, como professores de EBD, buscar mudar este quadro.
abarços e Paz do senhor!!!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá pastor Paulo, obrigado por se preocupar, sua advertência lembrou-se um antigo pastor meu(risos), ele tinha esta mesma preocupação, ao qual eu agradeço. Mas na verdade, eu fiquei um tanto quanto triste devido a esta situação e uma possível perda de amisades e desconfiança, porém amo por demais a Deus para deixar que tais coisas passem ao vento.

Olá pastor Carlos, obrigado pelo apoio, saiba que ele sempre é importante para a perseverança da GQL. Infelzimemnte vemos cada coisa que não podemso nos conter. Obrigado pelo apoio!!!

Olá Irmã Eveline, obrigado por visitar meu blog e postar aqui pela primeira vez, é essa frase de Macarthr fala bastante comigo, creio que ele acertouem cheio ao falar sobre este polêmico assunto.
Continue nos visitando.

Obrigado pastor Levi por nos visitar, volte sempre!!! Infelizmente esta é uma verdade que tem acontecido aqui em Belém, que Deus no dê graça contra os modismos.

Eveline disse...

Oiii!

Obrigada pela dica do filme. Ainda não assiti, mas já anotei para pegar. Tenha uma semana abençoada.

Eveline

Victor Leonardo Barbosa disse...

desculpem-me pelo "amisades" do comentário anterior. A pressa tava muito grande(risos)

Teo Jornalista disse...

Oi Victor Leonardo, a paz do Senhor. Até hoje, eu não sabia de sua resposta, mas por favor, entre em contato comigo através do meu e-mail marcvictors@gmail.com e eu lhe mando o convite, e pormenorizo a respeito de outros detalhes. Um abraço fraterno.