sábado, agosto 25, 2007

John Wesley, o neo-teísmo e os teólogos tupiniquins.



Não há como negar a importância do pregador e avivalista inglês do século 18 John Wesley. Quem lê um pouco de sua biografia deslumbra-se com esse grande homem e pregador por seu caráter, santidade e amor pelas almas perdidas.
Há uma interessante questão acerca de Wesley que pode ser encontrada no livro do teólogo batista e amigo de Gregory Boyd Roger Olson, em seu livro História da Teologia Cristã. Neste livro, ao falar acerca de Wesley, ele nos relata que Wesley não produziu sistematicamente uma teologia, pois para ele, os teólogos já haviam produzido suficiente. Porém o próprio Wesley “contribuiu” para a teologia cristã ao falar acerca da doutrina da “santificação plena”, ou seja, o crente pode desfrutar uma santidade plena ainda nesta vida. Até hoje a doutrina de Wesley é controvertida, e gera bastantes discussões no meio teológico, creio que isso dará uma boa discussão em outros artigos. Todavia, me prendo a opinião de Wesley sobre teologia e busco aplicar este principio no cenário teológico brasileiro atual.
A comunidade teológica brasileira está vivendo dias movimentados com relação ao processo que envolve o pastor Ricardo Gondim e Ed René Kivitz desde quando eles aceitaram a doutrina do neo-teísmo proposta por Gregory Boyd e outros ph’deuses da teologia americana. A controvérsia foi tão grande que até o pastor Augustus Nicodemus Lopes se viu dentro desta discussão ao debater e dar uma réplica ao pastor Godim, que publicou certa critica às opiniões “calvinistas” de Nicodemus em seu site.
Meu intuito a escrever este artigo não é criticar em si a pessoa de Ricardo Gondim ou de Ed René Kivitz, e sim buscar fazer uma reflexão sobre essa delicada questão que envolve a teologia tupiniquim. É algo que tenho notado desde tempos de jovem convertido, quando me deparei pela primeira vez com o artigo “estou cansado” do pastor Gondim. Fiquei intrigado e um tanto perplexo como que li. Hoje, com tantas polêmicas envolvendo o absurdo do Neo-teísmo por parte de teólogos com mentes brilhantes cabe perguntar: O que há de errado com a teologia tupiniquim? Será que para ser um bom teólogo brasileiro é necessário ter um pensamento totalmente novo, ainda que esse pensamento seja contrário às Escrituras? Pois é isso que parece, e é algo que vejo em vários seminários. Há professores de teologia que ensinam que Deus não é onisciente, onipotente, nem onipresente, e ainda é mutável!(isso bem antes do teísmo aberto ter se tornado moda, um professor de um conceituado seminário batista aqui em Belém já havia proposto tais definições), será que teologia é como as outras ciências, onde conceitos são revistos à luz da intelectualidade humana, e às vezes são mudados pela simples vontade de mudar? Creio que não.
Creio que existem temas que precisam ser mais bem explorados das Escrituras, mas nada com relação às doutrinas essenciais da Bíblia. Grandes homens doaram sua mente para sistematizar uma doutrina complicadíssima como a trindade divina em controvérsias brutais com hereges. Grandes homens sofreram quando afirmaram que uma doutrina, uma doutrinazinha qualquer dessas por aí que fica rolando na boca de todo mundo que se diz genuinamente crente, afirmando que essa doutrina é essencial para poder compreender a salvação, uma doutrinazinha chamada justificação pela fé, que ninguém reformula por uma melhor, nem pelo nome, ora essa! Lembro-me de grandes homens que afirmaram que Jesus é Deus feito carne, e não um Deus e um homem compostos, penso naqueles homens que lutaram contra uns criativos teólogos, que buscavam dar uma nova visão à teologia, algo mais adaptado a mente moderna, algo que pudesse sustentar uma visão cristã mais moderna, sabe como é... Algo mais de acordo com o mundo, a ciência, quem sabe, qual é o problema de dizer que Jesus não é Deus? Ora, todo mundo sabe que Deus é o pai de todos, e que sua qualidade maior é o amor? Porque não abraçar certas idéias científicas? Sabe como é... algo mais light e contemporâneo para agradar as pessoas, afinal estamos na dispensação da graça. Sim, lembro-me desses homens que lutaram contra isso e foram humilhados, uns sujeitinhos rústicos e anti-intelectuais, tais chamados fundamentalistas, anti-evolução, etc, e uns brabos que diziam que Jesus veio de uma virgem, oh que mito!!! Sim, aquele tal de Machen que, graças a Deus foi desprezado e humilhado em julgamento infame e tirado de sua denominação. Ainda bem que foram substituídos por teólogos mais inteligentes como Karl Barth, que afirmava que a Bíblia não é a Palavra de Deus, mas se torna quando Deus a toma, afinal Deus é transcendente. Ora por que não??? Ora por que então ainda há tanta relutância com esses crentizinhos mixurucas que só recebem o que os outros pensam, esses robozinhos medíocres, uns piores que os outros, tem um grupo então que se acha melhor que os santos apóstolos e quer falar em línguas e profecia, oh que soberba e misticismo!!! Por que será que existe tal relutância?
Talvez...
Talvez seja porque eles preferiram as palavras de homens rústicos que falavam de acordo com o que Deus fala.
Talvez seja porque eles, ao pensarem por si mesmos, viram que não precisavam criar um novo conceito, mas sim viver o conceito antigo, é...isso mesmo, aquele conceitozinho de acordo com aquele livrinho chamado Bíblia.
Oh, talvez seja porque eles viram que teologia é uma amostra, amostra daquilo que Deus fala na Bíblia, não dos pensamentos dos intelectuais e ph’deuses.
Talvez porque eles viram que não precisam mudar aquilo que está totalmente de acordo com a palavra Imutável.
Oh pior! Talvez seja porque eles viram que teologia É VIDA, É PRATICA, e boa teologia é feita em meio a controvérsias, é feita visando à salvação e o crescimento espiritual, e não a questões de sofrimento onde Deus fala não que Ele não podia prever isso, mas sim, Ele é Soberano, e faz todas segundo o conselho de sua vontade ( Ef 1:11).
É. Talvez seja por isso.
A muito do que se pode fazer para uma boa teologia sem ferir o próprio Deus, porém não é isso que eu vejo acontecer com os teólogos tupiniquins. Caio Fábio sugere que devemos ser de acordo com a lei homofóbica, Gondim e outros, afirmam que Deus não conhece todas as coisas e não é todo-poderoso.
O mundo cristão brasileiro está em grave crise com modismos, heresias, e pecados horripilantes, que espero nunca cometer em minha vida, pois sou um pecador e não estou livre de tais coisas, que Deus me guarde! Que Deus nos guarde e nos dê graça para podermos ser como aquela igrejinha, “rústica”, “ignorante”, “primitiva”. Esses crentizinhos que “perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.”(At 2:42)

Soli Deo Gloria
P.S : Não deixe de ler o artigo anterior em que eu, Carlos Eduardo e Nilton Rodolfo entrevistamos Carlos Moysés, vocalista do Voz Da Verdade.

15 comentários:

Eliseu Antonio Gomes disse...

Nem Caio Fabio e nem Ricardo Gondim... Jesus Cristo!

Sabe, quando alguém abre o oração para Deus até a simples mensagem JESUS TE AMA, faz mudanças na vida humana.

Cordialmete,

Eliseu

Paulo Silvano disse...

Caros irmãos da GQL,
A paz do Senhor,
Embora nem sempre comente os posts de vcs, esse blog é passagem obrigatória, frequentemente verifico o que está rolando.
Fiquei feliz por verificar que o "intuito a escrever este artigo não é criticar em si a pessoa de Ricardo Gondim ou de Ed René Kivitz, e sim buscar fazer uma reflexão sobre essa delicada questão que envolve a teologia tupiniquim".
Penso que esse tema é muito complexo e sua abrangência extrapola em muito a polarização reduzionista do calvinismo x arminianismo e seus desencadeamentos.
Fazer reflexão responsável, como vcs propõem, é de vital importância para que a rejeição ou aceitação - não só nessa questão - seja procedente da correta avaliação, motivada não pela disposição inicial acompanhar tendências, mas de firmar-se na verdade que liberta.

Um abraço no Geração,
pr Paulo Silvano

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene.
Graça e Paz.
Prezado irmão Victo, fico muito feliz em constatar o seu brilhantismo e verve ao tratar de temas tão delicados e contemporâneos.
Meditei a respeito de seu questionamento quanto à "teologia tupiniquim". Penso que o problema é de ordem metodológica, práxis e contextualização. Para ser um teólogo tupiniquim não precisamos de uma nova teologia, mas exercer o juízo sintético sugerido por Kant em sua Crítica da Razão Pura. Sabemos que a revelação escriturística na América, na Europa ou aqui no Brasil, não será diferente daquilo que a Bíblia afirma para todos. Porém, as realidades são distintas em cada macro-região desse nosso mundo. Mas isso não significa que todos as revelações escriturísticas estejam confinadas apenas ao que lemos nos manuais atuais. Ao meu ver uma teologia brasileira não deve deixar à parte os problemas sociais, morais e judiciais de nosso contexto, mas ressaltar a identidade e verdade das Escrituras. Afirmo na obra Hermenêutica Fácil e Descomplicada que um dos objetivos da hermenêutica e exegese bíblica é tornar a mensagem das Escrituras inteligíveis ao homem moderno. Acredito que o caminho para uma teologia tupiniquim está centrado nessa proposição.

Obs.:Acrescentei o seu blog no Teologiaegraca.blogspot.com

Esdras Bentho.

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Victo Leonardo:

Acredito piamente que o intuito de seu blog nem de qualquer outro que tenha criticado o Teísmo Aberto foi atacar a pessoa de Riacardo Gondim ou de Ed René Kivitz. Por onde passei, em minhas visitas diárias, sempre que possível, aos blogs evangélicos, não vi nenhuma crítica pessoal aos nomes citados, mas às idéias que defendem e expostas de forma clara em seus blogs, seminários e conferências. Infelizmente, muitos de seus aliados, ao invés de virem para o embate das idéias, preferiram auto-vitimizar-se, e transformar também as pessoas acima em vítimas, como se estivessem sendo atacados em sua honra pessoal.

Ao mesmo tempo, concordo em gênero, número e grau com o post do Esdras Bentho quanto à "teologia tupiniquim". Essa idéia de "teologia brasileira", da forma como é apresentada, sempre soou mal aos meus ouvidos, pois "a revelação escriturística na América, na Europa ou aqui no Brasil, não será diferente daquilo que a Bíblia afirma para todos", como bem afirmou Esdras. Já vi até quem defendesse "fazer uma teologia" que justificasse biblicamente a presença dos brasileiros ilegais nos Estados Unidos.

Agora, a praxis é outra coisa. Nesse ponto, o que se discute é como aplicar os princípios bíblicos, eternos e imutáveis, a cada situação cultural. Por exemplo, nenhum crente brasileiro convicto questiona o cigarro como impróprio ao cristão. Mas, só para citar, e o "vício" do cafezinho?

Entendo que o mais importante nisso tudo é descobrir como a teologia bíblica, tal como revelada, relciona-se com o nosso "modus vivendis" na realidade cultural em que estamos inseridos. O que passar disso entra no terreno movediço de se buscar "um outro evangelho".

Um abraço e mais uma vez parabéns pelo blog. Vocês me dão a certeza de que há entre os mais jovens cabeças bem pensantes e centradas no meio evangélico.

Um abraço.

Eduardo Neves disse...

A Paz do Senhor Jesus,

Teologia se faz assim: Liberdade com responsabilidade, equilíbrio e Unção de Deus!
Um abraço e parabéns pelo blog.

Eduardo Neves.

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Ótima refexão!

Parabéns, o resumo de seu texto ficou nessa pergunta: "Será que para ser um bom teólogo brasileiro é necessário ter um pensamento totalmente novo, ainda que esse pensamento seja contrário às Escrituras?"
Vejo que buscar uma teologia brasileira é uma tarefa que deve ser com equilíbrio, pois a revelação das escrituras é universal.

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Silas Daniel disse...

Para mim, esta é a frase mais contundente do texto: "Será que para ser um bom teólogo brasileiro é necessário ter um pensamento totalmente novo, ainda que esse pensamento seja contrário às Escrituras?"

Você discerniu bem a questão, caro Victor. O pessoal que busca "outro Deus", "outra espiritualidade", "outra fé", e por aí vai, acaba se afastando do verdadeiro Deus, o Deus da Bíblia. Isso porque só existe uma fé, uma espiritualidade verdadeira e um Deus verdadeiro, apresentados na Bíblia Sagrada.

A resposta correta às aberrações neopentecostais que estão espalhadas por aí não é a busca por uma nova teologia. O que precisamos não é de uma nova teologia, mas, sim, da verdadeira Teologia, bíblica, escriturística. As aberrações por aí não são resultado da Teologia Bíblica, são distorções dela. Misturar essas coisas é fazer como aquele homem que, querendo se livrar de um galhinho podre de sua grande árvore acabou cortando o galho todo, com ele sentado no galho, e caíram todos juntos: o galho com o galhinho podre e o indivíduo.

Devemos podar só o que precisa ser podado, os excessos, a bizarria. Não precisamos de "outro evangelho". Paulo frisou isso em Gálatas 1. Precisamos do Evangelho!

ALTAIR GERMANO, disse...

A paz do Senhor amado!

Convidamos o amado irmão para fazer parte da “União de Blogueiros Evangélicos”.

Trata-se de um espaço virtual e democrático onde seja possível unir blogueiros cujos blogs falam eminentemente sobre o Cristianismo e sobre a Palavra de Deus.

Diálogo, trocar idéias, debates e, sobretudo, divulgação de seus trabalhos e blogs são alguns dos objetivos da UBE.

A idéia surgiu de conversas on line entre o Pr. Altair Germano (BLOG DO PR. ALTAIR GERMANO), Pr. Esdras Bentho (TEOLOGIA COM GRAÇA) e o Irmão Valmir Milomem (E AGORA, COMO VIVEREMOS?).

Saiba mais no blogueirosevangelicos.blogspot.com

Ore, divulgue e participe!

No amor de Cristo,

Pr. Altair Germano

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Olá Victor Leonardo!
A Paz do Senhor!
Depois do seu artigo e dos brilhantes comentários, pouco se pode acrescentar.
Apenas registro meu entendimento de que, os teólogos tupiniquins não satisfeitos com a mensagem genuína do evangelho, propõe seus próprios aditivos, como consta do comentário que fiz, acerca de mensagem do Pastor Ubirajara Crespo.
Parabéns!

Teo Jornalista disse...

Obrigado por sua visita ao meu blog, Leo. Vou vincular seu blog ao meu, e gostaria de saber se tem interesse em ser colaborador do meu blog com notícias e acontecimentos (dentro e fora dos círculos cristãos). Fica aí o convite. A paz do Senhor!

Valmir Nascimento Milomem disse...

Toda teologia que é baseada emintemente na pessoa dos seus líderes, são fadas as fracasso, pois nada tem de bíblico.

Valmir Milomem
comoviveremos.com

Victor Leonardo Barbosa disse...

Antes de mais nada gostaria de agradecer a todos os quanto postaram no GQl, pastores Silas daniel, Paulo Silvano, Carlos roberto, Geremias do Couto, Valmir, Esdras. Todos sempre são bem-vindos.
Bom Eliseu, realmente concordo com você, nao é Caio Fábio nem Gondim que transformam vidas. Porém, quando escrevi este artigo, foi também pela grande preocupação de ver tais homens influentes e que poderiam estar pregando o evangelho de forma bíblica se perverterem dessa forma e influenciarem milhares de pessoas com esse erro horrível.
Obrigado pela compreensão pastor Paulo, sei que o senhor admira bastante o Gondim, mas, como o senhor falou, o que mais importa é a verdade que liberta.
pastor Esdras, obrigado pelo comentário inteligente e reflexivo que enriquece muito o blog. Pastor geremias, concordo com o senhor com relação a praxis, realmene essa é uma questão bem delicada e que muitos não entendem e acabam por perverter o Evangelho com sabedoria do mundo.
Gutierres e pastor Carlos, obrigado pela participação mais uma vez, vocês estiveram presentes desde a nossa entrada na blogosfera e sempre nos deram apoio, muito obrigado!!!
Olá Teo e eduardo! Obrigado pela primeira postagem no GQL, Teo, vou pensar naquilo que você falou, me senti bastante interessado, abraços e paz do Senhor!!!
Estamos aí pastor Altair! é uma honra participar da blogosfera Cristã!!! Soli deo Gloria!!!

Vitor Hugo da SIlva disse...

A paz do Senhor xará!

Infelizmente, alguns homens não estão satisfeitos com as revelações passadas a nós através dos pais da igreja. Por isto, querem inventar um monte de pensamentos bonitos sem base algumas nas Sagradas Escrituras. Preferem viajar em seus pensamentos e suposições, arriscando-se em todo o seu crer!

Deus abençoe!
Vitor Hugo

Victor Leonardo Barbosa disse...

Obrigado pela sua paticipação Xará, que Deus te abençoe.
Infelzimente, como o pastor Valmir falou. muitos cristãos hoje vivem baseados em homens, e não na Palavra da Verdade.
Valeu Xará,
abraços.

Leandro Teixeira disse...

Um ótimo texto, sem dúvida!
Eu fico triste com o fato de que quando alguém quer ter acesso à Verdade, precisa desenterrá-la de toneladas de "doutrinas humanas", e nem sempre a pessoa tem disposição para fazer isto...

Abraço!
Leandro Teixeira.

Soli Deo Gloria

.....................................
http://liberdadeepensar.blogspot.com