quinta-feira, outubro 11, 2007

O Círio, o Neófito e a Cruz Vermelha





Belém está agitada nestes dias com a chegada da celebração que a mídia chama de “natal dos paraenses”, o Círio de Nazaré. Os locais públicos de Belém, pelo menos a sua maioria, estão carregados de homenagem a “mãezinha”. Segundo dados por demais questionáveis, a festa pode atrair este ano mais de três milhões de católicos(como se Belém conseguisse suportar os famosos 1 milhão de pessoas) que se reúnem em uma procissão com mais de seis horas de duração( em todos os anos há certas variações), onde percorrem um duro trajeto levando uma extensa corda até a Basílica que tem o nome da “santa”. Os dias são de muita idolatria, que tem efeitos em todos os setores da cidade, desde repartições públicas até em faculdades e transportes coletivos.

Certa vez, pouco depois de ter saído da época neófita(não fazia muito tempo que eu havia me convertido e pouco tempo é que eu havia tido a experiência do que é viver o nascer de novo), decidi ser um voluntário na cruz vermelha, não para ajudar os “os irmãos na fé”, mas para acabar o mais rápido possível com os problemas enfrentados pelas pessoas ali presentes( desmaios, fraquezas, entre outros problemas). Alguém talvez questione a minha atitude, e certamente estou passível de ser criticado, se alguém em perguntar se quero fazer isso de novo, certamente responderei que não. Porém creio que Deus me mostrou a influência da idolatria em meu estado e cidade. Acompanhando os fiéis desde o início do ver-o-pêso, com suas ruas sujas com papelão molhado por água de vala ou chuva, onde milhares de pessoas lutando para prosseguir seu caminho numa luta quase além dos limites, desejando agradecer aos “milagres” efetuados ou pagar uma promessa feita, alguns segurando a corda com uma mão e com a outra portando uma latinha de cerveja, assim também , se não me engano, homossexuais se agrando em dar um sacrifício na corda.
Tive muito trabalho neste dia, carregando na maca diversos tipos de pessoas, desde simples casos de um desmaio momentâneo até um idoso com problemas de coluna. Porém um caso me marcou muito neste dia. Estávamos bastante distantes de um dos postos da Cruz vermelha, com um sol começando a esquentar ainda mais(cerca de 32º a 35º graus), quando ouvimos um grito: “EI, AJUDEM-NA, ELA ESTÁ GRÁVIDA!!!!”, não sei o quanto andamos carregando, não uma,mas duas pessoas, passando pelos mais variados lugares e tipos de pessoas. um rapaz até disse algo que me chamou muita à atenção: “E aí??? Ela já morreu ou não?”.
Dali eu vi uma coisa importantíssima: a importância da evangelização. Não somente uma evangelização simplista, mas uma evangelização que conscientize os indivíduos que nenhuma bondade há no ser humano que possa o salvá-lo, mas que, pelo contrário, estão debaixo da ira de Deus. Muitas pessoas acham(assim como eu achava) que possuem uma certa bondade o suficiente para merecer o céu, e que ao fazer algum tipo de sacrifício
poderão pagar a sua dívida com Deus e serem aceitos no céu. assim também como recorrer a intermediários que façam um contato melhor com Cristo. É importante pregar o Evangelho com intrepridez, sabendo que o mesmo Deus que irou-se conosco, nos amou a ponto de entregar o seu único filho, oremos para que o Espírito Santo possa iluminar as pessoas ainda não salvas e que possam reconhecer que :
“Em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devemos ser salvos” (At 4:12)
“Poque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo”( Tm 2:5-6).

Não podemos nos esquecer das maravilhosas doutrinas da graça, da justificação pela fé, da suficiência de Cristo. Que Deus possa perdoar nossos pecados e nos usar para tal propósito, nesses dias onde a igreja evangélica cada vez mais retrocede.

Soli Deo Gloria

6 comentários:

Eduardo Neves disse...

A Paz do Senhor!

Ir.Victor gostei muito desta postagem, pois além de retratar o estado obscuro que vivem os idólatras, imaginei o irmão no meio daquela confusão toda(risos). Deve ter sido um trabalho intrincado, ou melhor dizendo intransitável(rs).
Precisamos orar para estes perdidos, e saber que jamais homem algum irá se justificar por obras diante do Senhor.

"Para que nenhuma carne se glorie perante ele." ICo 1.29

Deus te abençoe!Que seu coração continue quebrantado pelos perdidos.

Em Cristo,
Eduardo Neves.

Obs.:Me perdoe mais só um alienado criticaria uma iniciativa tão bonita quanto a sua.Valeu?

Esdras Costa Bentho disse...

Kharis kai eirene.
Essa é uma situação lamentável: um país preso pelos tentáculos da corrupção e da idolatria. Que pena!!!
Oremos para que o senhor liberte o nosso país da escravidão sincretista! Graças a Deus, o irmão não apenas hora, mas está lá, no fogo cruzado, constatando mais uma vez a situação lamentável da escravidão idolátrica.
Um abraço

Eduardo Neves disse...

Deus tem um propósito a realizar, mas Ele precisa que o homem esteja disposto a orar, para que se estabeleça Sua vontade aqui na Terra. Esta é a função da oração, preparar um caminho para que Deus realize Sua vontade, assim como uma locomotiva necessita dos trilhos para andar, Deus necessita da oração do homem para levar adiante Sua vontade, sendo assim o homem deve fazer com que sua vontade seja unida com a vontade de Deus para que se estabeleçam seus designos,a oração tem como objetivo que nós venhamos a fazer com que a vontade de Deus se estabeleça aqui na terra, desta forma, devemos conhecer melhor a vontade de Deus, para que nossas orações sejam agradáveis a Deus e nossos propósitos sejam cumpridos.

Então apenas "orar" não parece pouco!
“Antes de ocorrer o grande avivamento de Gallneukirchen, Martin Boos passava horas e horas, dias e dias, e até noites em oração intercedendo sozinho, agonizando perante Deus. Mas quando ele pregava, sua palavra era como fogo, e o coração dos ouvintes, como capim seco.”
(D.M. McIntyre, D.D.)

E Graças a Deus que o irmão ora e obra!
Um abraço.

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Oremos pelo nosso país e por Bélem! Lembrando a todo essa nação que "só o SENHOR é Deus"!

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Eliseu Antonio Gomes disse...

Prezado irmão Victor

Eu creio que nós podemos pregar muito mais do que pela boca. Pregamos com os nossos atos também. E vou além: creio que o Senhor o usou naquele dia e até tenha salvo alguém por seu intermédio, mesmo que não tenha dito nada sobre sua fé.

Conheço um jovem que participou de um grupo de visitas, era novo convertido tal qual você na descrição dessa postagem. Por ele ser neófito na fé não recebeu oportunidade de dizer nada na casa do visitante.

Depois que todos foram embora, o jovem visitado disse para a mãe evangélica que iria atender o convite e ir à igreja. A mãe perguntou o que havia lhe tocado mais naquele grupo. "Os cânticos? A mensagem do diácono?"

E o filho respondeu: "Não, não consegui prestar atenção nas mensagens dos louvores e nem do pregador, fixei meus olhos no rapaz quieto no canto da sala, o rosto dele brilhava bastante e transmitia a paz que eu sinto falta".

Abraço

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá irmãos e amigos, realmente o trabalho não foi fácil na época, ou melhor, naquele dia. principalmente no início, no vêr-o-peso. teve uma hora que eu e mais alguns companheiros tivemos que apoiar as pessoas que seguaravam a corda, fazendo um certo elo e corrente para sustentá-los, coloquei os meus pés na calçada e fiz força, pois senão seria esmagado pela multidão que cairia acima de mim.

Obrigado pelas palavras Eduardo Neves, realmente pensei que poderia não ser bem compreendido ali.

Olá pastor Esdras, realmente não podemos só orar, mas também estar lutando na frente de batalha. É claro que não podemos mensoprexar a oração, como bem falou Eduardo Neves, porém é muito perigoso apenas orar e não arregaçar as mangas.

Caro eliseu, realmente é importante pregarmos com nossos atos, pois como Jesus, não devemos apenas ensinar, mas também fazer.
Creio que as boas obras faze parte do testemunho cristão importante para que o mundo veja as nossas obras e glorifique a Deus, e atrvés disso que Deus prepare seus corações para receber o evangelho, a "loucura da pregação."
Abraços a todos e Paz do Senhor!!!