segunda-feira, outubro 08, 2007

Uma nota importante

Caros irmãos, depois dessa semana ser um tanto quanto difícil devido a noticia da adoção do manual da fé neste trimestre pela igreja em Belém. Ontem, o pastor presidente da igreja em Belém deu seu esclarecimento sobre tal medida. Por motivo de segurança, para que meus amigos não sejam prejudicados, decidi resgistrar um pouco do que foi falado pelo pastor no blog comunicologos, de meu amigo teo jornalista.

Abraços e Paz do Senhor!!!

Obs: não deixem de ler o post anterior, de meu amigo Carlos Eduardo, grande conhecedor da flisofia oriental, que fala um pouco sobre os desenhos japoneses.

4 comentários:

Glenda disse...

ahahahahahaha!
"conhecedor da filosofia oriental" É ótimo!
Nada contra... só axei engraçado o seu formalismo gramatical.

Paulo Silvano disse...

Caro Victor,
Por pouco não retirei o comentário que fiz ao seu post um novo trimestre:" Igreja-mãe adota manual da fé ". Fiquei constrangido ao perceber que o meu comentário não tinha nada a ver com o real interesse da discussão desencadeada. Descobri, depois conhecer a maioria dos comentários dirigidos àquela postagem e verificar a reverberação que o seu registro teve noutros blogs, que o seu post tocava o que de pior temos verificado por decênios na história da nossa Assembléia de Deus no Brasil; a velha politicagem, eivada de tripudiação e manipulação da fé dos crentes.
Olho para história da nossa denominação, que alguns ainda insistem em chamar de ” Movimento” , e constato que a medida que fomos deixando de ser apenas um pequeno grão de mostarda para se tornar uma grande árvore em que as “aves dos céus” fizeram os seus ninhos, testemunhamos a orientação de um jogo em que algumas privilegiadas aves, inicialmente inofensivas e dóceis, deslumbradas com a estrutura de poder montada tornaram-se famintos abutres, envolvidos numa luta insana, do tipo vale-tudo, na qual utilizam a maldade disponível para se perpetuarem com os seus podres poderes. Pior, fazem isso aparentando profunda piedade e se postando como autênticos paladinos da “reta doutrina” e guardiões da “ortodoxia”.
Acredito que você, em quem percebo traços de sólida lucidez, mesmo com a sua relativa pouca idade, já percebeu os meandros dessa luta, que nada tem a ver com os valores do Reino de Deus. Portanto, permita-me, como alguém que já experimentou, nesses meus quarenta e cinco anos como assembleiano, a desventura de acreditar que se não mudasse poderia melhorar esse estado de coisas, reforçar alguns conselhos.
1. Não desista de fazer seu o único desejo o mesmo do saudoso pioneiro Gunnar Vingren, expresso no início dos idos anos trinta : “... que haja paz e harmonia em todo o movimento pentecostal até a vinda de Jesus”
2. Saiba que Deus nada tem a ver com essa disputa, embora ela arvore em nome Dele;
3. Saiba que Verdade e Amor não subsistem nesse jogo, porque os dois não comungam com as ânsias pelo poder;
4. Desejável é que não se envolva nessa beligerância, principalmente se você quer continuar servindo nessa igreja e ministério;
5. Conheça que, se preferir embrenhar nesse conflito, existe a real possibilidade de “machucar-se”, com implicações espirituais graves;
6. Assuma que se envolver significa tomar partido, não existe neutralidade para quem se envolve. Para se envolver é necessário antes conhecer com profundidade as razões de ser de cada lado envolvido, o que, uma vez feito, não permite sincera declaração de neutralidade;
7. Se não conseguir conviver com os vícios da estrutura de poder presentes na convenção eclesiástica a que pertence, prefira Apocalipse 18:4 “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados,...”.

Um abraço na paz do Senhor,
Paulo Silvano

Victor Leonardo Barbosa disse...

Pastor Paulo,
Obrigado pelo palavras e sinceridade e preocupação.
POrém, apesar de ser bom não se intrometer, principalmente nesses assuntos, creio que é uma obrigação moral, como membro da assembléia de Deus em Belém, de ter a liberdade de consciência nessa denominação, que cada vez mais perde sua natureza congregacional e adota uma postura episcopal de governo, onde quem não concorda com as medidas estabelecidas, deve sair.
O que adianta servir em um ministério corrupto ou corrompido?
Particurlamente prefirto não ser nada do que ser alguma coisa e entrar nesse circulo vicioso e perverso.
Creio pastor, do fundo de meu coração, que mais importa ser fiel a Deus do que mudar algo, embora isto esteja envolvido.
Concordo que Deus não se encontra nestas coisas, uma vez que isto é mera politicagem.
è necessário pagar o preço de tais coisas. Uma coisa é ser rebelde, outra coisa é ter a liberdade e o direito de consciência, algo que está endo apagado pelos membros.
Apesar de ser uma voz solitária, em nehum momento digo que não preciso de apoio, acima de tudo do Senhor, e depois de homens compromissados com a sã doutrina. Nese contexto, é necessário que os membros encontrem seu valor como congregação, sejam ativos na obra do Senhor.
Uma vez que os membros são altamente prejudicados, como no caso acima, de uma decisão eclesiástica que nada tem a ver o bem da doutrina e dos membros.
Com relação a saída da denominação, eu prefiro seguir o exemplo de Geremias, permanecer numa israel corrompida e perversa, lembrando que apesar do objetivo é que Israel mude, o mais importante é ser fiel a Palavra de Deus
Obrigado pela preocupação e advertências, continue junto coma gente.
Abraços e Paz do Senhor

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Víctor Leoanado!
A Paz do Senhor!
Louvo a Deus pelo entendimento do caso, por parte do comentarista Paulo Silvano, bem como pelos seus sábios conselhos, no entanto, uma vez que o Senhor tem dado a vc. entendimento para florescer onde tem sido plantado, é muito bom que permaneça, principalmente na linha da obediência, que tem ficado evidente em seus ponderados artigos.
A independência lhe dá a liberdade de contrapor, oferecendo assim um contraditório responsável e bíblico de alguém que tem tudo a ver com a denominação, primeiro por pertencer a ela depois por se manter submisso.
Oremos uns pelos outros.