segunda-feira, outubro 01, 2007

Um Novo trimestre: Igreja-mãe adota Manual da Fé




Eu particularmente me encontro muito feliz, pois nesse último final de semana, pela graça de Deus voltei a ser professor na EBD da Missão Com adolescentes, pois havia sido retirado do cargo por motivos que ainda não convém relatar, e também voltei a assumir a supervisão do Jornal da Missão, o NTC. Renan Diniz também se encontra feliz, pois assumiu a liderança da WEB da Missão e Nilton Rodolfo está na rádio. Esperamos glorificar a Deus com tanta coisa boa que ele nos tem dado.


Porém, fui surpreendido ao entrar na igreja ontem. Logo me deparei com algo que pode dar muito o que falar e que já gerou certa polêmica em uma das palestras sobre EBD de meu amigo Carlos Eduardo: a não utilização da revista de escola dominial da CPAD neste último trimestre, substituída pelo Manual de Fé, produzido especialmente para a igreja-mãe. Me alegrei quando vi que poderíamos ter uma certa "Confissão de Fé" onde diminuiria as controvérsias doutrinárias existentes no seio de nossa querida AD (cheguei até a comentar sobre isso com o pastor Altair Germano em seu blog). Porém, ao que tudo indica tal atitude foi em decorrência de um problema existente entre a editora CPAD e a Igreja em Belém, segundo me foi relatado por fontes ligadas a liderança.
Os relatos apresentam certas discrepâncias, mas não podem ser menosprezados. Segundo uma fonte, a controvérsia se deu com o pastor-mor da igreja mãe e, não se sabe ao certo, com o comentarista das lições bíblicas deste trimestre(no caso, o pastor Geremias do Couto) ou se foi com o departamento de educação cristã(no caso, o pastor Esdras está envolvido) , talvez seja certo afirmar que a CPAD ou alguém tendo grandes responsabilidades lá dentro gerou tal "peleja", porém lembrando, isso está somente no campo da hipótese, não houve uma explicação de nenhum dos lados.
Com a outra fonte, foi repassado que na verdade a igreja em Belém não estaria satisfeita com a revista da CPAD, e que de certa forma a revista a estaria prejudicando-a e até mesmo a atacando com críticas(então nesse caso, sera algo bastante indireto, porém com a carapuça servindo).
Neste momento, devemos buscar não a neutralidade(que é impossível, pois levaria ao menosprezo e o próprio afastamento das questões que nos afetam), mas sim ao máximo de imparcialidade possível antes de tirarmos quaquer conclusão. Seria bom que pessoas ligadas a CPAD ou os próprios responsáveis pela confecção da revista pudessem dar um parecer e explicar de maneira esclarecedora sobre este episódio,talvez nem saibam que ele existe. Assim também como as "pessoas do Norte". Creio que através dessa atitude da igreja-mãe(que praticamente foi imposta e forçada) pode haver certa "separação" e agravar ainda mais as relações assembleianas "Norte-Sudeste" que existe hoje. Tomara que este manual só seja para este trimestre. Mas a questão permanece: E se não for?

Tomara que não seja nada, mas se for? Que Deus nos dê graça e que os problemas sejam resolvidos

Soli Deo Gloria

27 comentários:

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Victor Leonardo,

particularmente desconheço as razões da "igreja mãe" adotar uma outra lição bíblica.

Vou aguardar maiores informações, e assim comentarei com maior propriedade o fato.

Um abraço!

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Victor Leonardo:

Acredito que a resposta para essa decisão tomada pela liderança da "igreja-mãe" em Belém, PA, esteja no artigo: "Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós...", de minha autoria, publicado no MP do mês de janeiro deste ano, e em alguns artigos postados no meu blog durante o mês de abril.

É o que tenho a dizer sobre o assunto.

Abraços.

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado Victor,

postei algo sobre o assunto.

Um abraço e a paz do Senhor!

Gutierres Siqueira, 18 anos disse...

Essa atitude da "igreja-mãe" é no mínimo estranha, pois a qualidade das revistas da CPAD só tem aumentado, tanto teologicamente, como didaticamente. Seria por causa de Ago em abril? E o apoio do líder de Belém ao Marco Feliciano, quando a CGADB está preoucupada com as atitudes doutrinárias desse jovem pregador? Espero que esse manual só seja um complemento!
Um abraço irmão Victor.

Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

ALTAIR GERMANO, disse...

O pastor Geremias do Couto me deixou curioso.

Alguém aí tem um mensageiro da paz de janeiro, para me emprestar, ou poderia reproduzir o referido texto?

ALTAIR GERMANO, disse...

Li os artigos postados em abril, no blog do Pr. Geremias do Couto e gostei.

Ninguém precisa me dar maiores explicações.

Misericórdia!

ALTAIR GERMANO, disse...

Gostaria de complementar,

já que o assunto pertinente as eleições na última Assembléia Geral da CGADB, realizada em São Paulo, voltou a tona (é disso que trata os artigos que o Pr. Geremias do Couto cita), para não ser tendencioso, gostaria de declarar que houve falhas nas campanhas dos candidatos à presidência.

Oro a Deus, para que as referidas "falhas" não se repitam no próximo pleito.

Oro mais ainda, para que essas falhas não se transformem em "raíz de amargura", nem em qualquer outro tipo de tropeço, que seja produzido por qualquer tipo de sentimento ou ação que não cabe a "homens de Deus"!

PAZ DO SENHOR (COM LETRAS MAIÚSCULAS)!

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Victor Leonardo!
Em primeiro lugar o parabenizo pelo retorno às atividades relatadas no seu post, bem como pelo artigo!

Quanto ao assunto principal, ou seja, as lições próprias da Igreja-mãe em Belém-Pa, pouco há que se dizer, um vez que a atitiude por si só já fala muito.

Quanto as dúvidas do Pastor Altair Germano, sinceramente não acredito que venham explicações da região norte.

Quanto as explicações do Pastor Geremias do Couto, simplesmente lamento que a liberdade de pensamento e de ideologia, conquistas do nosso tempo, sejam respondidas com retaliações que dividam um patrimônio de caráter moral e espiritual que não construimos, mas recebemos pronto dos nossos pais.

Salvo melhor explicação, só podemos lamentar.

Paulo Silvano disse...

Caro Victor Leonardo,
Essa iniciativa, não inédita, da AD de Belém pode, por razões de ordem interna, questionar a hegemonia da editora confessional, mas, por outro lado, tambem pode criar uma dinâmica saudável, que dá a oportunidade de se verificar os anseios e o potencial de criatividade e produção teológica da igreja local, inclusive respeitando algo muito importante e pouco respeitado que é a cultura regional. O outro aspecto positivo, quando se usa material de outras editoras, inclusive não pentecostais, é que podemos conhecer o que pensam teológicamente as outras expressões evangélicas além da nossa fronteira denominacional. É claro que um trabalho a mais, geralmente penoso, tera que ser feito: Filtros terão que ser ligados; principalmente os da cosmovisão soteriológica e pneumatológica.

Um abraço a turma do GQL
pr Paulo Silvano Cardoso

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro Victor Leonardo:

Apenas para corrigir uma informação errada em meu comentário:

onde se lê "MP do mês de janeiro deste ano", leia-se "MP do mês de maio deste ano".

Obrigado,

Daladier Lima disse...

Via a matéria a partir do blog do Pr. Altair Germano, e concluo o que já coloquei várias vezes no blog: estamos em crise e não percebemos! Não foi a apresentação da candidatura própria, isto é até previsível. O problema é o contexto no qual se deram as eleições. E isto enxergado de forma bem ampla, vem acontecendo sintomaticamente em todo País.
Já o artigo do Pr. Geremias do Couto procura espiritualizar a questão, o que seria razoável, mas o que aconteceu foi muito grave, e trará inúmeras sequelas para a AD brasileira a longo prazo. Não acho que este seja um bom caminho (aliás, já trilhado em relação à política partidária). Vamos orar por mais união, e ver o que acontece.
A propósito, a rede de televisão do Pr. Samuel Câmara saiu do ar? Já há alguns dias que não consigo assistir.
Visitem meu blog http://daladier.blogspot.com, critiquem, divirjam, esperneiem ou concordem. Fiquem à vontade!

Vitor Hugo da SIlva disse...

A paz do Senhor xará (Victor)1

Meu irmão, não sei exatamente o que escrever, pois nem sei exatamente o tipo de sentimento que esta notícia provocou em mim!

Não consigo concordar com certas atitudes tomadas por certos pastores. Ao invés de juntar, estão espalhando, e o pior, causando escândalos para o evangelho de Cristo! É por isto que muitos católicos, possuem a razão de falar do crentes, pois não somos unidos!

Só tenho algo a escrever, e para bom entendedor basta algumas palavras!

´´PARA CONHECER REALMENTE UMA PESSOA, LHE DÊ PODER. AI VOCÊ VERÁ O QUE REALMENTE ESTA PESSOA TEM NO SEU CORAÇÃO``

Este ditado diz tudo! O pior é que muitos não aceitam a vontade de Deus para suas vidas, e aproveitando-se de sua posição fazem aquilo que querem e bem entendem!

Oremospela vida do pastor Samuel!

Vitor Hugo.

Victor Leonardo Barbosa disse...

obrigado por atentarem para esta noticia irmãos, que de fato me preocupa muito, bom, ainda não vi o MP de maio, mas pretendo verificar, assim também como no seu blog pastor Geremias.
Logo estarei falando com os outros queridos irmãos que atenciosamente postaram sobre essa delicada questão.
Logo buscarei também dar o meu parecer.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Acabei de ler o artigo do pastor Geremias do Couto, sim, ao que tudo indica a probablidade maior é que a primeira fonte está correta.
Isso é realmente lamentável, e apesar de estar calmo, sinto tristeza pelo fato ocorrido e ver que realmente tudo leva para essa última convenção. Eu concordo plenamente com o que foi dito para mim em um dos artigos sobre a festa da AD aqui em belém, no qual citei a convenção. Quem me dirigiu a palavra foi o pastor Carlos Roberto e tive que concordar: Os líderes da AD defemnderam uma pessoa e não uma causa. O que saia do púlpito para os membros foi o seguinte: nunca mais a igreja em Belém teve um de seus pastores como líder na convenção geral, e o pastor José Welligton estava a muito tempo no poder. Um determinada pessoa chegou perto de mim e se não me engao com mais um ou dois amigos e disse: "orem pelo pastor Samuel, pois o concorrente já consagrou x diáconos(não me lembro exatamente o número, mas eram muitos) justamente para votarem nele".
Depois da convenção: um determinado senhor X me afirmou para mim e Carlos Eduardo: "cara, qanta politicagem eu vi, nossos pastores são santos comparados com eles" e milheres de boatos surgiram afirmando que poderia-se fazer outra eleição pois a anteriror não valeu, pois existiu um "problama acidental" nas urnas elegendo injsutamente o pastor que está atualmente neste cargo.
Me foi relatado também que o filho do determinado pastor causou um rombo enorme na CPAD, cálculo que foi feito pelo pastor Silas Malafaia e respondido com uma explicação banal pela chapa do atual presidente.

a questão permanece: o que fazer diante de tal atitude? Como membros??? É triste ver os membros sem nenum poder opinativo em nossa AD, que cada vez mais(pelo menos no contexto belenense) perde sua caracteristica denominacional. Ainda estou esperando a "turma do norte" se manifestar, corendo o risco de ser disciplinado por postar tais coisas no blog. Ainda falta apurar algmas qestões sobre isso, ainda não vi qual o tópico na comunidade do pastor Geremias postou nem o MP, ainda se tem muito oq ue se discutir.
Convido os pastores que aqui já postaram que dêem seu parecer sobre os argumentos levantados no norte e o que se pode fazer para que esse quadro mude, onde pasotres determnam a ordem e os membros pagam um duro e lamentável preço.
Os membros tambe´m têm a liberdade de opinar.
Ainda não falei com cada um aqui, mas pela graça de Deus farei.

ALTAIR GERMANO, disse...

Pr. Geremias do Couto,

li o artigo do MP de maio/2007, intitulado "Pareceu bem ao espírito Santo e a nós", e gostaria de declarar publicamente, que fui testemunha ocular da "transposição deliberada de práticas viciadas e suspeitas da política secular, sem nehum pejo, para ambiente convencional", conforme vosso artigo.

Um outro título que caberia para um artigo similar (com todo respeito),seria:

"Pareceu vergonhoso ao Espírito Santo e a nós."

Transcrevo abaixo, o comentário que fiz em meu post sobre o assunto:

"Gostaria de complementar,

já que o assunto pertinente as eleições na última Assembléia Geral da CGADB, realizada em São Paulo, voltou a tona (é disso que trata os artigos que o Pr. Geremias do Couto cita), para não ser tendencioso, gostaria de declarar que houve falhas nas campanhas dos candidatos à presidência.

Oro a Deus, para que as referidas "falhas" não se repitam no próximo pleito.

Oro mais ainda, para que essas falhas não se transformem em "raíz de amargura", nem em qualquer outro tipo de tropeço, que seja produzido por qualquer tipo de sentimento ou ação que não cabe a "homens de Deus"!

PAZ DO SENHOR (COM LETRAS MAIÚSCULAS)!"

Eduardo Neves disse...

Paz?

Irmão Victor estou feliz por vc ter voltado a lecionar na EBD.
Mas estou triste com a briga pelo poder de certos homens na AD.
Sabemos que todo aquele que quer servir a Deus de coração íntegro, e é usado por Ele, inexoravelmente esbarra na resistência e oposição de Satanás, expressa na reação contrária das pessoas, da religião morta e das autoridades constituídas.
Igreja dividida é alegria de Satanás!!!
Para estes homens eu deixo um recado:
"E houve também entre eles contenda, sobre qual deles parecia ser o maior.
E ele lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que têm autoridade sobre eles são chamados benfeitores.
Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve.
Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve." Lc 22.24-27

Que Deus te abençoe!!!
Eduardo Neves.

Obs.: Política é isso aí, VERGONHA!

Eliseu Antonio Gomes disse...

Victor e demais irmãos participantes desse blog.

A idéia em se publicar revistas das escolas dominicais na AD – MÃE parece ser anterior à Convenção Geral das Assembléias de Deus / Anhembi–SP, ocorrido no último mês de junho.

Sou moderador de uma comunidade no Orkut (Assembléia de Deus – Ministério Belém [com mais de 10.000 membros]). O Orkut é um termômetro de muitas situações por todo o Brasil, considero-o um ótimo afiador ao feeling sociológico. E sobre esse assunto tive o privilégio de acompanhar em janeiro de 2007 dois tópicos criados devido às insatisfações com as pautas das revistas das EBD’s. Infelizmente um dos autores se arrependeu da pauta e pediu para deletar seu tópico...

O usuário do site que quiser conferir, eis o link de tal debate: http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=795797&tid=2507659296241764841&na=4

Gosto da CPAD. E por gostar tenho vários livros dela e uma bela coleção de revistas Lições Bíblicas com mais de dez anos, usadas como fontes de ricas consultas.

Mas, apesar disso eu entendo que não existe nenhum problema em existir opções de revistas para ministrar nas escolas dominicais. Ao contrário, entendo ser grave erro se houver alguma proibição impedindo a leitura e uso de revistas A e C, e uma imposição para se usar e ler apenas a revista B. Caso exista, essa “forçação” de uso exclusivo das revistas editadas pela CPAD poderemos qualificar essa atitude como abuso de autoridade espiritual e dizer que trata-se obra da carne (divisão). E por parte de quem quer que seja: A B ou C...

Eu compro as revistas da Editora Central Gospel, tenho várias editadas pela Editora Vida e gostaria de adquirir as que a Betel publica (editorada da AD MADUREIRA/BRÁS, desvinculada da CGADB).

Olhando as revistas Lições Bíblicas, antigas, quando a CPAD detinha o monopólio do ensino dentro das Assembléias de Deus e até em outras denominações, a qualidade delas deixava a desejar em muitos aspectos gráficos e também por causa das repetições de abordagens de vários temas. Agora, com a existência de revistas similares, a situação da necessidade de competir no mercado, então, a CPAD se aprimorou.

Esse cenário é apenas um fator mercadológico, não pode ser confundido com o fator espiritual. Todas essas editoras podem coexistir pacificamente dentro da seara assembleiana. E que Deus abençoe a todas essas editoras para melhorarem a cada dia mais suas publicações. Quem perde é o diabo!!!

Toda essa situação é uma condição benéfica para o povo de Deus. Seria triste se não tivéssemos NENHUMA editora evangélica.

Agradeço a Deus por isso!

Eliseu Antonio Gomes.

Victor Leonardo Barbosa disse...

como já comentei anteriormente, Eliseu, o problema não foi em si a publicação da revista da igreja mãe, e sim o motivo que desencadeou tal fato, pois ao que tudo indica, houve sim um jogo politico e de interesses envolvidos. E outra coisa absurda foi a forma como isso foi colocada. De maneira forçada e imposta nem ao menos discutindo com a congregação sobre tal coisa. Já estous abendo de pessoas que ficaram injuriadas e aborrecidas e estão vendo se realmente acatrão tal decisão de utilizar esta revista.

Pastor Geremias do Couto disse...

Amigos:

Tenho evitado ao máximo ficar fora dessa discussão, mas acho necessário alguns esclarecimentos:

1. Acredito que dispor de várias opções é uma maneira sadia de as igrejas poderem programar o seu currículo à luz de suas necessidades.

2. Por outro lado, a EBD não é um fórum teológico, no sentido acadêmico do termo, mas um espaço onde as linhas doutrinárias da igreja são estabelecidas, daí a suma importância da editora confessional.

3. Nem a CPAD nem a CGADB impõem pela força ou mediante qualquer sanção disciplinar o uso em nossas respectivas igrejas das lições bíblicas da editora. Há, sim, um vínculo forte de natureza confessional, que, automaticamente, leva quase 100 por cento de nossas igrejas a adquirirem o material de educação cristã produzido pela CPAD.

4. O material da CPAD é considerado hoje o de melhor qualidade até mesmo por outras denominações que fazem uso dele. Mesmo no passado, para o contexto da época, as revistas eram também assim consideradas. Jamais me esquecerei dos comentários de homens do naipe de Lawrence Olson, João de Oliveira, Alcebíades Vasconcelos, José Menezes, Eurico Bergstén e outros que marcaram profundamente a minha vida.

5. No caso em tela, as razões foram de outra ordem, não as apresentadas aqui.

Acredito que esses pontos sejam suficientes para esclarecer as dúvidas ainda existentes, de modo que, no que concerne a mim, pretendo não voltar mais ao assunto.

Um abraço,

3 de Outubro de 2007 10:00

Victor Leonardo Barbosa disse...

Fique tranqüilo pastor Geremias, compreendo a sua posição. A questão aqui é o problema que isto está causando aqui em Belém, onde essa atitude não pensou nem pediu a opinião dos membros da igreja, e pelo que tudo indica, realmente foi por um motivo puramente político que houve o afastamento da revista da CPAD, algo já tradicional nas congregações belenenses, as pessoas que tive acesso de outras congregações não ficaram muito satisfeitas e uma pessoa pensou até em sair da igreja aqui em Belém, e o pior é que esta atitude está intimamente ligada a esta última convenção, mostrando um problema brutal que é a decadência da ética pastoral na Assembléia de Deus, os membros são afetados por uma convenção em que eles não tem uma grande (ou se é que tem) alguma influência. Não estou afirmando que todos os pastores da AD estão nesta crise, porém ela está pesando muito sobre nós.
Com relação ao manual em si, eu não sou contra (pelo menos por enquanto) que tenhamos, fiquei feliz ao vê-lo e penso que a CGADB juntamente com diversos teólogos, poderiam pensar em criar um Manual da fé para Igreja Assembleiana, o que fortaleceria nossa identidade e será um complemento, não das Escrituras, mas da revista da EBD. Eu bem sei que a convenção não obriga a igreja a usar este currículo, mas lembrando que outras revistas como a do pastor Malafaia apresentam toques de confissão positiva e está alicerçada numa teologia que lembra a da prosperidade,eu acho muito perigoso outra revista, mas não sou contra, uma vez que o próprio lugar onde trabalho( a missão com adolescentes) não utiliza todo o currículo, mas sim revistas de outras denominações, como a batista, etc.
Fique tranqüilo pastor Geremias, já se pronunciou e eu agradeço, porém falta apenas um tanto quanto mais para fecharmos este assunto, quem quiser dar sua opinião para ter uma reflexão sinta-se a vontade.

Eliseu Antonio Gomes disse...

Prezados irmãos

Peço a gentileza aos leitores para que não tomem minhas palavras nas postagens acima como alguma forma de ofensa contra qualquer um dos participantes que se manifestaram aqui.

O assunto é extremamente delicado e todos que fazem parte desse fórum são pessoas dignas de alta honra dentro e fora da instituição Assembléia de Deus.

Eu sinto assim, livre para falar, como de fato falei em postagens anteriores, porque não tenho compromisso com a ética profissional por não pertencer às editoras citadas e nem fazer parte do quadro da liderança eclesiástica da AD. Ao mesmo tempo em que sinto essa liberdade, aplaudo a todos que possuindo elos prezam por manter atitude ética. Isso é louvável.

Creio, na minha limitada maneira de encarar esse assunto, que essa situação comentada nas postagens do Pr Altair e no GQ acontecem devido ao crescimento da AD, dentro deste Brasil com proporções continentais.

Todos sabemos as diferenças de significados entre o termo igreja como organismo espiritual e como organização física.

É sempre momento de refletir e orar... Como organização a AD tem se tornado cada vez mais diferente nos seus usos e costumes nos quatro pontos cardeais do País. A AD que está no norte e nordeste não se comporta igual a que está no leste e oeste desse nosso “Brasilzão”. E as disparidades fazem surgir situações assim (não é a primeira vez...).

Quero pedir perdão publicamente se fui rude com alguém, mas o que disse é o que penso. E disse de forma desinteressada, sem querer formar a opinião. Aqui me sinto na posição de aluno. Sou um simples membro do Corpo de Cristo, alguém que escolheu servir a Cristo permanecendo sempre no banco – mas fazendo uso da Palavra de Deus.

Não comentarei mais sobre esse assunto.

A paz do Senhor seja com todos.


Eliseu Antonio Gomes

Eduardo Neves disse...

A Paz do Senhor Jesus Cristo!

Venho por meio desta solicitar orações em favor de nosso irmão em Cristo *Joaquim da Costa Pinto, que encontra-se com problemas de saúde. Nosso irmão atravessa por momentos difíceis, conto com todos neste clamor ao nosso Senhor.

Comunicai com os santos nas suas necessidades... Rm 12.13

Yaweh Rafá. Amém.
Eduardo Neves.

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro Victor Leonardo!
Considerando todos os comentários postados, quero aqui endossar principalmente os seus e do Pastor Geremias do Couto.
Quanto ao comentário do amigo Elizeu Gomes, entendo perfeitamente a questão da concorrência e o aumento de qualidade que ela produz, no entanto, o caso em tela, não trata-se de uma outra denominação que não tendo editora confessional, tenha que escolher uma revista no mercado da literatura evangélica.
Trata-se da Igreja mãe de uma denominação.
Ainda que exista democraticamente essa liberdade, e ningém vá ser punido por isso, entendemos que qualquer lacuna que exista e possa ser melhorada, deveria ser discutida dentro do intramuros da denominação e lutarmos para chegarmos a um denominador comum.
Temos acima dos Comentaristas, Editores e Diretores da CPAD, os diversos Conselhos responsáveis , a própria Mesa Diretora da CGADB, além da soberana Assembléia Geral.
A editora confessional, em meu entender, existe justamente para isso, unificar a linha de pensamento da Igreja concernente suas doutrinas fundamentais.
A revista da EBD é um instrumento prioritário.
Se cada um começar a produzir a sua própria revista, como ficam a identidade e os laços denominacionais.
Lembremos ainda das Palavras do Mestre que disse: " Um reino dividido não subsiste".
Talvez não seja polido nem politicamente correto meu comentário, porém é o meu entendimento, até que seja convencido do contrário.
Se porventura em algum momento mudar de postura, sem uma explicação plausível, seja este comentário cobrado de mim.
Soli Deo Glória!

Victor Leonardo Barbosa disse...

gostaria de agradecer a todos os irmãos que contribuiram para esse delicado fato envolvendo a igreja-mãe.
Obrigado pastor Paulo, Gutierres, pastor Carlos, Eduardo(atendi seu pedido de oração), pastor Geremias do Couto, Altair, Eliseu.
Creio que a igreja-mãe tomou uma titude errada ao colocar esta nova revista para vendas. Já começou a haver certa retaliação aqui em Belém pelo post que fiz. Talvez seja necessária uma nova postagem, mas por enquanto é só. Peço que os irmãos orem por mim ,meus amigos e a igreja mer Belém. Caso aconteça algo, espero mantê-los informados.
Abraços e Paz do Senhor

ursinho carinhoso disse...

Amados eu não tive estômago para ler tudo isso aqui, mas as postagens do pr. Geremias em que ele assume que provocou o pastor Samuel, se utilizando do proprio mensageiro da Paz da CPAD que por sua vez é ligado a CGADB - é de lascar!
Por isso eu dou razão ao Pr Samuel Câmara!
E por favor parem de ficar falando aos 4 cantos que a revisia da CPAD é a melhor etc, etc, pois os resultados
concretos mostram o contrário. Infelizmente nosso povo ainda est´[a atrás dos Bstistas e Presbiterianos em matéria de Bíblia.... Por esse motivo sou favor que houvesse uma alternancia quanto aos Autores das Lições Bíblicas e periodicos da CPAD, como queria o pr Câmara,
QUANTO ao pr Geremias eu o entendo, pois está legislando em causa própira, por temer a concorrencia, caso o pr Samuel chegue a presidencia da CGADB em 2009.

Grato.

Cerebro disse...

Tenho pouca coisa a falar. Mas primeiro gostaria de dizer que fico surpreso negativamente com os comentarios do autor do blog. e tambem que todas as pessoas que estão comentando aqui não conhecem a igreja mãe em belém do Pará por isso estão falando assim dela e da liderança, como fez o pr. geremias do couto. Eu como ovelha desta igreja digo que a decisão foi tomada pela liederança, e foi amplamente imformada no culto de assembléia geral, assim como nos informativos semanais que tooodos tem acesso. Acho que não existe em nenhuma ou Ad no Brasil um povo tão bem informado do que acontece na igreja do que nós da Igreja-mãe. pelos varios meios, como informatvio, programas de radio e tv. (caracteristicas da liderança do nosso pr. presidente)
e outra..como membro dessa igreja eu me senti ofendido, e ferido pelo que o pr. geremias do couto escreveu sobre nossa igreja e nosso lider. Pr. geremias deveria vir a Belem conhecer um opuco melhor antes de sair escrevendo coisas sem fundamento. Assim como todos que comentam aqui. E principalmente o autor que diz que trabalha na igreja, e lidera adolescentes...tu ta bem mal informado hein. Acho que vc andou faltando uns cultos...

Tenho buscado me informar mais e mais sobre esses assuntos e tenho bastante ocias a dizer. se alguem quiser saber mais só postar no meu blog.

Mas se coloquem no lugar de um lider como o pr. samuel. Voce lidera uma igreja. daí uma pessoa vai e fica caluniando vc no mensageiro da paz. e ainda quer que vc use uma resvista que ele comenta. Meus amigos não sejam ingenuos....Politicagem é o que estão fazendo contra nossa igreja e nosso lider. O pr.samuel fez o que fez porque zela pela igreja que ele lidera.

até que ficou longo isso. mas enfim. qUERO dizer que a decisão foi tomada pela liderança como todo. Fomos amplamente informados. E me senti ferido como Assembleianos ao ler o artigo e as calunias que o Pr. Geremias do couto escreveu Contra a igreja mãe.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Nada mais do que a simples informação repassada. nada mais do que a cartilha do pastor Samuel Câmara.
Eu sou membro da igreja em Belém, também sei tudo o que foi feito pelo pastor, e certamente também vi a divulgação que foi feita. mas você cérebro( será o memso cérebro que comentou em nossa comunidade, não querendo se identificar, com comentários perjorativos?) nada mais demonstra seguir aquil que o pastor Samuel fala, seguindo perfeitamente sua cartilha.
è trisate você não querer se identificar. Mas uma coisa, eu sei. A gente convive muito perto um do outro.