segunda-feira, dezembro 03, 2007

O Traducionismo e Macedo: Assombrosa Distorção


Há certas semanas atrás o mundo evangélico ficou chocado com as polêmicas declarações de Edir Macedo sobre a questão do aborto. Segundo Macedo, que gera a vida não é por necessidade Deus, mas sim o ser humano, o feto é gerado, tanto física quanto espiritualmente pelos pais. A única alma e espírito que foi criado por Deus foi do primeiro homem. Fiquei um tanto chocado e também curioso.

Por mais herege que a definição de Macedo possua, certamente ela nos coloca diante de um entrave teológico. A visão que Macedo defende( ou pensa defender, ainda que não saiba) é traducionismo, visão teológica que defende que quem gera a alma do ser humano, a exceção de Adão, são seus genitores, e não diretamente por Deus. Essa visão não pode ser de um todo desprezível, afinal, as semelhanças entre pais e filhos é por demais evidente, não somente física, mas também espiritual. O caráter dos homens se parece, muitas vezes, por demais com seus pais, muitas vezes mesmo sem ter contato direto. Existe também outra visão teológica, que rivaliza com essa, é a visão criacionista da alma. Nessa visão, os pais simplesmente geram a parte biológica da criança, enquanto que quem gera a alma é Deus. Essas duas visões dividem os teólogos ortodoxos há séculos. 

Um exemplo mais famoso é na época da reforma, com Lutero e Calvino. Lutero defendia o traducionismo, enquanto Calvino era um prático criacionista. Meu objetivo com este artigo não é fazer uma ampla reflexão sobre este assunto, a meu ver, ambas as visões apresentam dificuldades e soluções, e na verdade ambas devem estar juntas ao invés de separadas. Todavia meu objetivo aqui é focalizar a questão de Macedo e o aborto. Será mesmo que o traducionismo defende o aborto? Ou pelo menos dá respaldo teológico para isso? Lutero certamente reagiria com veemência contra esta afirmação. Ainda que os pais sejam a causa “primária”( se formos analisar do ponto de vista da soberania de Deus, podemos afirmar que Deus cria a alma por meio do pais, sendo eles a fonte secundária) da criação da alma de um indivíduo, ainda assim isso não nega a questão desse mesmo indicio: o feto é um ser humano distinto e com direito à vida. Do ponto de vista ainda mais bíblico, não se pode tirar a vida de um ser humano deliberadamente. Isto é assassinato. Fora isso ainda que os pais tivessem certo direito sobre o feto ainda assim estariam em pecado, haja vista a Bíblia dizer que os filhos são herança do Senhor, não tendo eles direitos absolutos sobre a criança. Por isso é que traducionistas como Lutero não viam nenhum problema com sua visão e a rejeição do aborto.

Por isso, por mais que Macedo tente se justificar com pretexto de traducionismo, ainda assim sua opinião não se sustenta. Portanto, é por demais absurdo que ainda existam pastores e líderes que sejam a favor do aborto, e pior ainda são os crentes que se deixam levar por tal doutrina sob pretexto de auto piedade para com a genitora ou até mesmo por egocentrismo. O aborto é certamente anti-bíblico e anti-teológico, qualquer tentativa de justificá-lo não passa de perversão da moral cristã. Que estejamos alertas e firmes contra os falsos profetas.

Soli Deo Gloria

10 comentários:

Ednaldo disse...

Victor, a Paz do Senhor.

Infelizmente como sempre aconteceu pessoas distorcem os ensinos bíblicos em prol de suas próprias concupiscências. E o Edir Macedo não é excessão a essa infeliz regra.

Ele se esconde atrás de "hermeneuticas" e "teologias", que infelizmente só leva o povo a cegueira espiritual. Quando soube das declarações do bispo, fui até o forum da arca universal, pra ver se comentavam alguma coisa, e comentaram só que ninguém usou sequer um versículo bíblico para negar a posição que o bispo havia tomado. Hoje impera um evangelho antropocentrico onde não há lugar para o pecado e muito menos para Deus. Sou traducionista, mas a minha posição teológica de forma alguma me permite ser favorável ao aborto, pois vejo que essa forma de pensar é bíblica, e encontra respaldo bíblico em muitas passagens ao longo da Bíblia.

O Edir Macedo na minha opinião é um herege, que infelizmente se esconde atrás de um rotulo evangélico e assim escandaliza toda a igreja, pois os que estão fora não sabem discernir entre a igreja verdadeira e um arremedo de evangelho.

Que Jesus volte logo.

Ednaldo

P.S. não participei antes, porque apenas na semana passada descobri seu blog. Sou novo na blogosfera.

Pastor Geremias do Couto disse...

Caro VIctor:

Eu não saberia dizer se, de fato, o pensamento de Edir Macedo é traducionista até porque o seu sistema doutrinário é contraditório e incoerente.

No entanto, a resposta que ele deu ao repórter da Folha de São Paulo enseja também pensar na hipótese de teísmo aberto, ainda que ele possa não ter isso definido em seu credo religioso.

Digo-o por ele ter afirmado: "As crianças não nascem pela vontade de Deus, mas do homem". Ou seja, Deus não interfere nisso, por ser uma decisão exclusivamente humana. Pelo que se vê, é um conceito que se assemelha bastante ao que propõe o teísmo aberto. Mas a verdade em tudo isso, como bem disse o Ednaldo, é que não há base bíblica alguma para o aborto.´

É, portanto, inadmissível que um líder dito evangélico assuma essa posição. Ainda bem que Edir Macedo acrescetou que o fazia em "nome do seu Deus". Porque, com certeza, esse não é o Deus da Bíblia.

Abraços

Thyago disse...

Victor,
Fico chocado cada vez que leio algo que esse "bispo" diz. É triste que alguns de nossos irmãos inocentemente se deixem conduzir por líderes sem qualquer compromisso com a Palavra.

Contudo, quero aproveitar esse assunto para apresentar um ponto de vista que ainda não vi sendo discutido no meio evangélico brasileiro:

Creio ser inquestionável que o aborto é pecado, condenado pela Palavra de Deus. Disso qualquer cristão sério jamais discordará.

Entretanto, acho que a igreja não deve tomar partido quanto à questão da discriminalização do aborto. Justifico: o aborto é pecado tanto quanto o adultério, e é condenado na Bíblia assim como o divórcio ou a mentira. Mas não se vê por aí crentes pedindo que adúlteros ou mentirosos sejam considerados criminosos e presos. Acho que o direito do feto à vida deve ser discutido abertamente pela sociedade, mas nunca a caracterização de uma prática como "pecado" deveria ser critério para estabelecimento de legislação penal. É natural que cada cristão, como cidadão, apresente seu ponto de vista e que os representantes da nação legislem em conformidade com o pensamento dominante na sociedade.

Mas à igreja cabe pregar as boas novas de Cristo e orientar os crentes a cumprirem Sua Palavra, independentemente das leis estabelecidas.

Soli Deo gloria

Ednaldo disse...

A paz do Senhor a todos.

Thyago, fui incomodado pelo seu comentário, sei que todos temos direito a uma opinião própria, porém vejo perigo em sua posição de que a Igreja não deve manifestar sua posição no que diz respeito a descriminalização do aborto no Brasil.

Você citou como exemplos adultério e mentira. Infelizmente estamos em um mundo que jaz no maligno, e o adultério com o novo código civil brasileiro deixou de ser crime, mas era, porém ninguém pediu nossa opinião a respeito disso. Mentira é crime sim, o porém é a quem se mente, se alguém for a um tribunal testemunhar e cometer perjúrio ele é preso.

A Igreja cabe sim pregar as boas novas do Reino, mas fomos chamdos para sermos sal e luz nesse mundo e se esse sal perder o sabor e essa luz for colocada debaixo da caixa, a igreja perde o poder de fazer a diferença ou pelo menos tentar.

Paulo em todas as suas epístolas se manifestou contra costumes que eram "normais" na sua época, mas que desagradavam e ainda desagradam profundamente a Deus. Não fomos chamados para neutralidade, mas para abalar o mundo.

Cordialmente,

Ednaldo

divinitatisdoctor.blogspot.com

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Quero em primeiro lugar, parabenizar o irmão Victor Leonardo por suas colocações bíblicas e equilibradas referente ao assunto. Esse post é muito rico em informações.
Concordo com o pastor Geremias do Couto, que a “teologia” de Edir Macedo é confusa e incoerente. Preocupo-me com a posição do irmão Tiago e concordo com o irmão Edinaldo. A igreja deve ser influenciadora na sociedade, e não tirar Deus de sua legislação. Devemos transmitir uma visão de mundo (cosmovisão) cristã, que influencie a legislação, a cultura, a mídia, a educação, as artes, a moral de nosso país.


Gutierres Siqueira
www.teologiapentecostal.blogspot.com

Victor Leonardo Barbosa disse...

Gostaria que de agradecer a todos os quanto postaram suas opiniões aqui neste espaço.

Obrigado irmão ednaldo por suas duas participações, creio que realmente os que trabalham na universal certamente não possuem versículos bíblicos para apoiá-los ou pelo menos justificá-los em sua opinião junto ao "chefe"

Realmente pastor Geremias, a visão de Macedo apresenta certos pontos de contato com o teísmo aberto, mas acho a declaração dele um certo toque a mais de traducionismo pevertido. Mas realmente não podemos ignorar os toques de neoteísmo que estão envolvidos neste pressuposto.

Caro irmão thyago. creioq ue os pertinentes comentários feitos aqui falam talvez mais do que eu tente falar. Apenas reforço o que o irmão Ednaldo afirmou com uma pequena observação: Realmente infelizmente o adultério é permitido no Brasil, mas será que isso justifica ainda mais a legalização do aborto? lembre-se, não existe pecadinho e pecadão, mas certamente existem pecados de maior ou menor consequência, há coisas que Deus abomina, não simplesmente odeia.
Lembre-se, você foi chamado para sacudir o mundo, como bem falou o irmão ednaldo, e sempre existe a cruz para se carregar.

Obrigado irmão Gutierres mais uma vez por sua colocação.
Abraços e Paz do Senhor!!!

daia disse...

victor, a paz,

É incrivel como se deixa claro em nossos tempos a existencia desses falços profetas, e mais incrivel ainda é a massa q segue esses tipos de preceitos.Sabendo estes como cristaos os sinais da vinda do senhor.
Será que é o desejo intenso de se adquirir apenas aquilo q se deseja, que os leva a ignorar a biblia(exceto prosperidade) e a ingulir tudo q esse bispo fala, ou deixa de falar, passando por cima da vontade Deus.

Gutierres Siqueira, 19 anos disse...

Não recebi o e-mail no yahoo! Que mistério irmão! Rs!
Mande nesse endereço:
gutierres.siqueira@atento.com.br

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Victor Leonardo!
Paabéns pelo post.
A Igreja liderada por Macedo está tão entrelaçada e envolvida com as coisas do mundo que não mais consegue estar isenta das conveniências próprias do sistema mundano.
Sempre que a situação exigir uma postura bíblica por parte da Igreja, Macedo estará procurando qualquer versículo bíblico fora de contexto, para justifiar suas incoerências doutrinárias como disse o Pastor Geremias do Couto, e ao mesmo tempo evitar prejuízo financeiras em suas empresas-igrejas ou igrejas-empresas.
Maecedo não leu o que está escrito:
"Aquele que milita a boa milícia, não se embaraça com as coisas desta vida."

Victor Leonardo Barbosa disse...

É verdade pastor Carlos, cada vez mais Macedo se caracteriza como um falso profeta e assim como Demas, está amando o mundo presente.
Esse certamente merece o nosso sinal vermelho.

Abraços e Paz do Senhor!!!