quinta-feira, junho 18, 2009

98 anos - Crepúsculo de uma assembléia?




Hoje, pela graça de Deus, minha denominação completa 98 anos de existência. Nesse período, incontáveis bençãos foram derramadas e incontáveis vezes o nome de Nosso Senhor foi glorificado. Isso desde o início da igreja, em 1911; constituída de alguns pequenos "rebeldes" oriundos da até então jovem Primeira Igreja Batista de Belém.

Um marco na história do cristianismo brasileiro, a Assembléia de Deus, mais do que ninguém, contribuiu para o conhecimento salvífico de nosso Senhor e Salvador Cristo Jesus mesmo em meio as mais diversas perseguições, tribulações e angústias. Assim como o resto do pentecostalismo, os crentes eram vistos em muitas situações, como merecedores de verdadeiro ódio, desconfiança e acusados de fanatismo.

O zelo dos pioneiros, assim como o seu suor, não pode ser esquecido. "Abandonando" suas terras, os jovens missionários Daniel Gustav Högberg e Adolf Gunnar Vingreen atentaram apenas para uma coisa: Jesus Cristo e este crucificado. Pelo fruto de seu sofrimento, juntamente com a piedade de seus sucessores, homens piedosos como Nels Nelson e Samuel Nyström, alegres como Francisco Pereira do Nascimento e zelosos como Alcebíades Pereira dos Vasconcelos e tantos os outros, podemos com alegria dizer: Somos assembleianos!

Mas até que pontos eles diriam isto de nós?

Um legado esquecido?

Não podemos cair no erro de romantizar a nossa história (apesar de muito romance autêntico, no melhor sentido da palavra, existir nela). A assembléia de Deus também possuiu certos erros em seu crescimento, que com o passar do tempo foram ficando cada vez mais acentuados. porém jamais poderemos dizer que tais erros sobrepujaram o poder de Deus em nossas congregações.

Porém seria esta denominação como era antigamente? Não estou me referido com isso ao longo cabelo das mulheres, nem tampouco ao jeito de pregar dos homens. A pergunta que faço é: estamos indo nos mesmos passos bíblicos dos pioneiros? estamos seguindo a sua piedade, o seu carinho ou o seu zelo? tais perguntas servem tanto para membros quanto para líderes.

Hoje, nossos bancos de igreja estão cheios de pessoas que aprenderam evangelizar com outras denominações, e priorizam mais métodos pragmáticos pois não conhecem a santidade de Deus e a depravação humana revelada nos capítulos de Romanos. Prioriza-se hoje eventos que nada mais trazem é apetite e satisfação egocêntrica do que arrependimento e confissão de pecados. Somos mais soft, mais engajados, mais políticos e mais... civilizados.
Será que hoje olhamos para estes homens, que trilharam um caminho antes de nós e dizemos: "oh sim, foram ótimos em sua época, mas os tempos mudaram...". gostaria apenas de saber se o Deus deles mudou, assim também como sua Palavra.

Nomes como o de Vingreen e Berg são doces em nossa boca. Mas se realmente engolíssemos esse nomes e não apenas os mastigássemos, possivelmente sentiríamos queimação visceral, devido a nossa própria incapacidade, ignorância e pecados. Não é a toa que precisamos nos chegar, hoje mais do que nunca, a tais homens para aprender o que realmente é pentecostalismo.

Uma liderança esquecida?

Nenhum prioneiro era perfeito, isso também equivale dizer de suas lideranças. Todavia, se chamarmos Nels Nelson de ladrão e avarento, possivelmente iremos para a fogueira. Sinceramente creio que com toda a razão.

Porém cada vez mais vemos uma liderança eclesiástica à beira do abismo, pelo simples fato de se esquecerem do Nome do Senhor Jesus Cristo. Talvez seja exagero afirmar que "todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus", mas por certo, tal palavra cada vez se torna aplicável a muitos nos dias de hoje. Se temos membros cada vez mais fracos, é porque temos líderes cada vez mais pecadores.

Até quando tal situação insustentável irá existir? Até quando a meninice espiritual irá prevalecer? Creiuo que não adianta somente criticar lider X e elogiar líder Y. É necessário criticar X e Y,esperando que X e Y atentam par seus papéis dentro do alfabeto. Se necessário, atentar para um A, um B e também um C.

Fim ou um novo começo?


É necessário uma conscientização bíblica. Principalmente por parte da liderança eclesiástica. Uma conscientização que um dia todos seremos adubos para flores, sendo que a atual geração obviamente, se tornará primeiro do que a minha. Depois disso, só o estado intermediário - isso inclui o de cima ou o debaixo - só a ressureição - para a vida ou para a morte, para o trono barnco ou o tribunal de Cristo. É por demais necessário atentar para a geração futura e investir o máximo possível nela com Bíblia e teologia. Além do poder do Espírito Santo para a transformação de vidas. É necessário atentar para que possamos viver uma vida para a glória de Deu em cada sgundo que nos resta, ainda que isso nos custe, ainda que soframos retaliação. Tais coisas só podem vir acompanhadas de arrependimento e confissão de pecados, além de um expurgo do joio eclesiástico e uma transfomação de mente em convenções assembleianas. Creio que sim, que não estamos no fim, mas sim de um começo. Basta saber se esse começo - que nada mais é que uma continuidade, mais pura, testada pelo fogo. - virá com aquilo que mais precisamos à beira dos cem anos: um legítima e verdadeira unidade.

Que Deus seja louvado!

Soli Deo Gloria

8 comentários:

.. disse...

Querido, vejo vc muito pessimista em sua análise.
Gunar e Daniel viveram em outro contexto e época, por isso não servem mais como parâmetro para as AD's de hoje.
Querido, lembro a voce que muitas coisas que aconteceram na época de Vingren e Berg, hoje seriam taxadas de neopentecostalismo ou meninice, Estou falando de fatos contidos no Livro Diário de um Pioneiro.
Mas "bora" pra frente, pois prá frente que se anda, e as AD's e isso incluia a Igreja de Belém do Pará, são organismos humanos institucionais sujeitas a falhas e garves erros, ams isso não prejudicará em hipotese alguma a IGREJA DE CRISTO, meu jovem!
Pois nada pode prejudicar aquilo que Deus determinou... E esse Deus todo poderoso determinou qye as portas do inferno não prevalecerão contra a Igrja de Cristo...
Então não vejo o porque deste teu pessimismo exagerado aqui neste blog, pois tudo está no controle de Deus. Voce sabe disso! Portanto fique tranquilo pois Deus é o Senhor da História.

Gutierres Siqueira disse...

Onde assino?

Infelizmente o bom legado dos pioneiros simplesmente foram descartados, como o valor da piedade e evangelismo, cuja única mensagem era a Cruz de Cristo. Que nesses 98 anos possamos acordar de um sono utópico e atentarmos para a nossa realidade.

Abraços!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Victor Leonardo,
A Paz do Senhor!

O mais importante do seu artigo, na comemoração destes 98 anos da Assembéia de Deus, é o alerta para que não percamos uma visão de reflexão, na certeza, porém, que para cada tempo existe uma metodologia, mas os princípios bíblicos e espirituais implantados pelos pioneiros não devem ser alterados.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

.. disse...

cuja única mensagem era a Cruz de Cristo. (Gutierrez)

Depende do ponto de vista.
Se for analisado por tradicionais não é bem assim e Gunar procurava uma coisa a mais do que cruz de Cristo, uma segunda benção não é?
o puritanismo e o pietismo são pão e mãe do pentecostalismo que por sua vez e assim segue a história...
Então gutierrez tudo depende do ponto de vista.
Eu repito: Gunar teve seu tempo e os assuntos de hoje não se aplicam a realidade do mesmo.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Cara irmã X, creio que a senhora não entendeu certos pontos do meu artigo.

Não me refiro a certos costumes da época de Berg e Vingreen. Realmente eles viveram em outra época. uma época onde poucos neste país conheciam o Nome de Cristo, que hoje cada vez mais se torna banal, dentro de um contexto evangélico.

Creio que Berg e Vingreen são exemplos para nós hoje sim, principalmente em termos de ética, piedade cristã e doutrina bíblica e evangélica. Tais coisas não são apagadas pelo tempo, nem podem ser, pois ficaram marcadas nas vidas destes homens para a glória de Deus.

Minha irmã, não sou eu que sou pessimista, com todo o respeito, creio que é a senhora que está com óculos cor-de-rosa.

Tal situação é grave sim. É bem verdade que a igreja invisível é aquela que só Deus conhece, composta de crentes fiéis. Todavia, devemos atentar que o cristianismo é uma religião de caráter Exotérico( eu disse EXOtérica e não ESOtérica ok?). Fomos chamados para ser sal da terra e luz do mundo.

Como igreja, como povo de Deus, devemos dar um testemunho cada vez maior. Como as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja? é simples, Deus a protegerá por meio de crentes fiéis. Não podemos culpar à Deus pela nossa própria negligência em tais casos; e então sentarmos em um confortável sofá e afirmar: ah tudo vai dar certo!

A soberania de Deus não anula a nossa responsabilidade diante D'Ele.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Amados Gutierres e Carlos.

Obrigado pelos incentivo, apoio e reflexão.

Que Deus os abençoe cada vez mais e que possamos seguir a piedade cristã dos pioneiros.

Um forte abraço!

Wilma Rejane disse...

Amados irmãos,

Para mim é uma honra estar entre os parceiros do Geração Que Lamba.

Muito obrigada! Deus os abençoe e os guarde.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá irmã Wilma.

Nossa é a honra de divulgar um blog tão abençoado!

Que Deus lhe abençoe grandemente!!!