sexta-feira, junho 26, 2009

Michael, o mundo e Cristo



O mundo chora a perda daquele que que foi intitulado o "Rei do Pop". e respeitado por multidões. A morte prematura de Michael Jackson nos pegou de surpresa nesta quinta-feira e por certo nos faz pensar e considerar profundas questões, e atentar para uma grande realidade que nos cerca.

Jackson possuía fama, riquezas, posses; dotado de boa voz, possuidor de um gênio musical fantástico e de uma incrível visão cenográfica como poucos os cantores da atualidade. Muitos gostariam de ter seu talento, sua fama, e suas posses.

Todavia, é notável o quanto este homem não foi feliz, ou pelo menos, nunca satisfez sua alma. Ao tentar cada vez mais melhorar seu rosto, gradualmente se via a imperfeição e deformação do estado do ser humano caído.

Nota-se tal fato durante todo o percurso de sua meteórica carreira. Cirurgias, vícios, excentricidades, tudo para buscar a satisfação. Todavia, a satisfação que o cantor tanto procurava não se encontrava em uma sala de cirurgia. Michael acabou atentando para este mundo. Não atentou para a verdade que "Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre" (1 Jo 2: 16-17).

Michael Jackson possuía "tudo", pois usufruíra de praticamente tudo o que este mundo poderia oferecer. Não há como não aplicar Marcos 8: 36-37. "Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? ou, que daria o homem pelo resgate de sua alma?"

Não se sabe o que passou em seu coração durante os últimos momentos de sua vida. Nossa esperança é que Ele possa ter lembrado do Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Que sua morte, além de ser lamentada, também possa nos levar à reflexão. "Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque nela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam em seu coração" (Ec 7:2) Como o pregador de Eclesiastes, que possamos atentar que tudo é vaidade debaixo do sol. Se Deus nos deu uma vida, que possamos usá-la para a sua Glória, atentando para o Nome daqu'Ele que nos dá a genuína vida, e onde possamos encontrar a nossa satisfação, deleite e sentido da vida: Jesus Cristo, Senhor Nosso!

Soli Deo Gloria

4 comentários:

Mayalu Moreira Felix disse...

É verdade, sim, tudo o que vcs escreveram, mas hoje eu me sinto triste pelo fim de alguém que, durante um período da minha vida, foi importante. Acho que essa dimensão, para vcs, não existe (não só pela idade como também pelo fato de que sempre estiveram dentro da Igreja - o que não é meu caso), então dá pra filosofar biblicamente sobre a trajetória dele com certo distanciamento, o que não ocorre comigo.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Oi Maya!

Não quis passar com este artigo uma reflexão fria ou distante.

Não fomos criados na igreja por assim dizer, e eu particularmente gostava dele quando criança (tinha até o filme moomwalker gravado em casa).

Este artigo buscou, além da lamentação da morte de Michael, uma reflexão sobre como passageira é esta vida e este mundo.

Um grande beijo!

Daladier Lima disse...

Estão querendo "enfiar" ele no Céu. Veja o que disse o Alexandre Pires: "Jesus convidou o maior astro da cultura musical e de entretenimento mundial que ele mesmo criou pra cantar no céu. Acho que agora Michael Jackson descansará em paz."

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá irmão Daladier, a Paz do Senhor!

Realmente tais declarações são absurdas e por, certo, provida de uma mente que não possui conhecimento da verdade bíblica.

Como o irmão bem salientou em seu blog, tal fato nada mais é do que mitolatria.