sexta-feira, janeiro 30, 2009

CGADB 2009: remoção dos marcos antigos?



Não há dúvidas que a Assembléia de Deus possui uma extensa bagagem cultural nestes quase cem anos de existência, isso não se pode nem se deve negar; muito menos menosprezar, porém nem tudo são flores nessa cultura( que deveria ser totalmente fruto da prática correta da palavra de Deus).

Um dos temas a serem tratados na AGO em Vitória é sobre a "Remoção dos Marcos Antigos". Venho eu a perguntar: que seriam esses "Marcos antigos"? Não há dúvida que muitos pastores possuem um conceito semelhante quanto a isto: Os Marcos Antigos nada mais são do que a prática dos "bons costumes" assembleianos. A mulher ter um cabelo comprido e deve usar saias compridas, não se maquiar, ter cuidado com a "vaidade". O homem, por sua vez, não utiliza tais rigores na vestimenta, apenas que este tenha cuidado com shorts e camisetas. Dentre outras coisas alguns também classificam como atividades mundanas o ir a cinema e escutar algum tipo de música profana. Tal faceta cultural a assembléia de Deus foi construindo ao longo dos anos¹.

O grande problema é que tal prática gerou algo que não é preciso ser profeta para deduzir: um forte legalismo, onde quem fosse pego indo ao cinema ou jogando um futebol estaria desviado do caminho e teria que ser disciplinado. O grande problema é que quem é legalista possui sérios problemas espirituais e por certo é alguém com uma forte tendência carnal. A solução é pelo menos mudar o enfoque. Surge então a outra faceta e irmão gêmeo do legalismo assembleiano: o reteté de Jesus.

Houve, com o passar do tempo, uma revolta dentro do círculo assembleiano. O resultado: mulheres jovens não seriam mais obrigadas a usarem saias, mas poderiam se maquiar a vontade, usar shortinhos e grandes decotes para que se possa aparecer os lindos seios volumosos. Cinema? tá liberado!!! Logo vemos crentes elogiando filmes com temáticas totalmente anticristãs como "Os outros" e "Jogos Mortais", que nada mais é do que uma verdadeira ode à violência gratuita. Música? todas os ritmos são Deus, logo somos livres para adorar!
tais são os conceitos apoiados por muitos líderes evangélicos.descompromissados ou descuidados para com a palavra de Deus.

Tais batalhas superficiais acabam por prejudicar a igreja, reduzindo sua identidade a nada mais do que simples costumes, muitos destes extra e anti-bíblicos. Desde quando eu era criança ouvia tal assunto e problemática. E sinceramente não sei por que tanta controvérsia nestas questões.

Um apelo à moderação Bíblica

Entre tais questões, a Bíblia se faz muito clara: O bom senso santificado e a consciência, respaldada pelos princípios da Palavra de Deus é algo suficientemente claro para compreendermos tais problemáticas e a superarmos de uma vez por todas. A Bíblia é clara ao mostrar que devemo ser moderados em nosso vestir, tendo equilíbrio, pois muitas vezes o vestido revelava certa característica pessoal de alguém, razão por que a Bíblia sempre faz uma associação simbólica entre as roupas e a santificação( 1 Pe 3:3; Ap 3:18). Pedro, ao afirmar em sua epístola a moderação da mulher não a está proibindo de utilizar jóias, mas mostrando que a verdadeira riqueza que ela deve possuir não é externa, mas interna (uma análise no grego original tal significado é mais claro). Deve haver moderação e bom senso no vestuário feminino. A mulher cristã deve se vestir de forma elegante e bela, porém que evite roupas que provoquem a libido sexual nos homens( e isso também vale para saias!). O que não significa que deva rigorosamente ter cabelos compridos e saias grandes, acompanhados de roupas pobres e sem vida( ao contrário de seus maridos, que se tiverem condições, jamais dispensarão um terno Armani para o culto de domingo). Não é toda a música conveniente para o cristão cantar e tão pouco utilizar no culto à Deus, pois não reflete a sua glória e não nos leva a um compromisso com o Senhor, sem falar que não nos ensina em nada também. Isso equivale também para filmes e coisas semelhantes.

É impressionante que tais questões são simples e que poderiam ser resolvidas com um bom ensino bíblico, mas permanecem até hoje como espinhos na carne da Assembléia de Deus no Brasil. Isso tem que acabar. Isso deve acabar. Não é tolerável nos prendermos a questões tão simples em detrimento de outras muito mais importantes, como o papel do cristão como elemento julgador, repreensor e santificador da sociedade que o cerca, tendo como ponto de partida, base e sustentação a Palavra e o Espírito Santo de Deus.

É óbvio que segundo a Bíblia, "Marcos Antigos" nada mais são do que expressões de delimitação geográfica, e que devem ser analisadas em seus devidos contextos (Jr 31:21 ; Dt 19:14; Jó 26:10), nada tendo a ver com usos e costumes. Estes, devem ser revisados pela Palavra de Deus.



Soli Deo Gloria

Nota:

[1] isso não significa que tal cultura era ou sempre foi majoritária na assembléia de Deus. É bem verdade que ela sempre esteve presente, porém com maior ou menor intensidade, dependendo da região no país. É certo afirmarmos que o nível intelectual era bem avantajado. Samuel Nyström lia romances e Alcebíades Pereira de Vasconcelos deve ser considerado um dos maiores eruditos pentecostais do início do século XX.

9 comentários:

Mayalu Felix disse...

Ah, irmãos, eu vou ao cinema e recentemente cortei os cabelos... Mas a AD que eu freqüentava, em Brasília, não tinha disso, não: quem quisesse usar saia usava, e quem quisesse usar calças compridas tinha liberdade para tanto. E ninguém criticava ninguém por conta dessas questões. E era, talvez por isso mesmo, uma fonte de comunhão, de amor, de alegria para mim. Não me adaptei à AD do Maranhão, em parte, por conta disso: pouca espiritualidade e muito lagalismo.

:)

Maya

Gutierres Siqueira disse...

Victor, a paz!

Como a irmã Maya expressou, existe diferentes realidades na Assembléia de Deus, mas de maneira geral ainda se prega como pecado aquilo que a Bíblia não condena!

Abraços!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Irmã Maya e irmão Gutierres, obrigado pelas considerações.

Realmente, há lugares onde a assembléia de Deus não adota determinados costumes mais antigos, mas há outros estados ou regiões que é tão forte a presença de legalismo que mal há como respirar. isso deve ser extirpado da Assembléia de Deus.

Daladier Lima disse...

Acho que o problema não é a liberação destes costumes, mas que padrão usar. Nas igrejas daqui, as mulheres que não gostam dos padrões põem a barriga de fora com um top ou usam uma saia transparente que exibe a calcinha. Com a liberação...
É o caso da TV. Quando o povo se liberou, que é o que realmente aconteceu, os crentes passaram a passar várias do dia em frente a ela. O que fazer? Não sei. Só sei que quando liberarmos tudo, ainda vai ter alguém querendo mais.
Por outro lado, me associo à preocupação com o essencial (doutrinas) em detrimento do acessório (usos e costumes), embora reconheça que a questão não é tão simples.

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá irmão Daladier! A paz do Senhor!

Realmente concordo com o senhor, e tampouco meu objetivo com este artigo de forma alguma é o "liberar geral". E isso realmente é um grande problema, sair de um extremo para o outro, tal coisa é totalmente inviável do ponto de vista bíblico.

Por isso, creio que o ideal é que se pregue a moderação e simplicidade bíblica, haja vista para que não se obrigue a usar calça comprida, mas de forma alguma se ache conveniente um "short" apelidado de micro saia.

Abraço e Paz do Senhor!!!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Leonardo,
Graça e Paz!
Que bom poder ler e comentar seu aritog hoje.
Parabéns pela abrodagem.
Este assunto nos arraiais assembleianos é inesgotável.
A Igreja tem administração descentralizada, o por um lado é muito bom, no entanto, por outro lado nos torna vulneráveis a todas as diferenças regjionais de um país com dimensões continentais como é o Brasil.
Tem gente que radicaliza tudo, ao ponto que outros liberalizam por completo.
O ruim disso, é que essas diferenças colocam entre nós um fórum de discussão não associado ao evangelho.
Os radicais, como vc. bem disse caem na armadilha do legalismo, e os liberais, via de regra, na armadilha do mundanismo.
Creio que ninguém resolverá isso por completo, porém, acredito que devemos levantar a bandeira da discrição, do que é um traje honesto, e isso vale para qualquer ligar do mundo.
Quanto a nossa liderança, é preciso equilíbrio para que a coisa nçao descambe de uma vez.
É lógico que na CGADB, quem estiver à frente pode contribuir, mas resolver o problema, não vejo como.
Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

Victor Leonardo Barbosa disse...

Olá pastor Carlos, obrigado por sua participação neste espaço.

Concordo com que o senhor falou. Tal discussão talvez não finde na Assembléia de Deus, pleo menos, a meu ver, não por enquanto. Há muito os costumes das gerações passadas ainda estão sendo repassados para os mais novos, claro que, em muitos lugares, de maneira enfraquecida e sem o vigor anterior.
Infelizmente ao que tudo indica, teremos mais problemas com os liberais no futuro, que crescem em maior ritmo.

Apesar disso, sabemos que Deus tem cuidado da AD e que, ainda que de forma lenta, minha esperança é que a moderação e bom senso bíblico se façam cada vez mais presentes.

Com relação ao novo líder da CGADB por certo que ele poderá dar uma forte contribuição nesta busca. Mas creio que isso não pode estar somente na mente do líder maior. este artigo buscou visar principalmente os pastores que participam da CGADB e que estarão presentes em Vitória, além dos membros em geral da AD.

Quem bom ver no senhor uma posição boa e equilibrada, além de sensata. Continue aqui com agente do GQL.

Um forte abraço e Paz do Senhor!!!

Ana Paula disse...

Uma discussão que não terá fim.... essa é a grande verdade. Minha AD aqui em Itaperuna já segue a "tendência" não radical. Sem destoar e sem escandalizar....
Preocupa-me haver tantos questionamentos e debates em relação a esse assunto, pois acabam direcionando a escolha de uma liderança a um foco que não seja o primordial em nossa Convenção. Achando que o líder tal vai ser melhor, pois vai "liberar", ou então o outro líder vai ser melhor, pois vai "manter as origens". E não é isso o que importa. O que mais importa é UM LÍDER QUE VIVA A GENUÍNA PALAVRA DE DEUS, QUE SEJA COMPROMETIDO COM A MESMA, CUMPRINDO E EVIDENCIANDO NO SEU VIVER E NA SUA LIDERANÇA TAL COMPROMETIMENTO. Não levantarei minha bandeira sobre qual deles, apesar de ter bem nítido dentro do meu coração qual seja o melhor e estou ORANDO MUITO para que seja essa o vencedor.
Que o Espírito Santo atue na Convenção com total liberdade e que os ânimos sejam arrefecidos e possa ocorrer lá um verdadeiro MOVIMENTO PENTECOSTAL.
Isso sim!!!!
Que voltemos à origem da nossa Igreja, onde quando os homens de Deus se reuniam, havia um verdadeiro agir de Deus entre eles e os mesmos voltavam para suas Igrejas com "alta voltagem" para poder dinamizar mais ainda a obra em seus locais de origem.

palavra de vida disse...

muito boa a postagem e o conteudo de garnde discurção.
ifelizmente os bons custumes da nossa querida assembléia de Deus,já está sendo engavetado,por pastores(pastores?)que não mais se preocupam em ensinar a palavra de Deus,mas,sim em ter o foco dos olofotes em si mesmo.
A simplicidade do evangelho não mais atrai,e,sim a extravagancia dos louvores,os pregadores(pregadores??Não passam de animadores de auditório)fazem o povo rir e relarem de tanto achar graça,do refletir pensar na sua situação diante de Deus tanto interiormente,como exteriomente.
Mas,pra quer criar polemicas,se pregar aquilo que o povo quer ouvir é melhor,é mais conviniente.
Como ensinar sobre os bons custumes,se os telepregadores e telepastores,pregam que isso não tem importancia,que Deus só que o coração,que ELE pode fazer prosperar se o "irmão" for fiel nos dizimos e nas ofetas,pois manter a "obra" de Deus,é mais importante do que manter uma vida de santidade de Deus.
que Deus tenha misericordia da nossa querida denominção.

SOLI DEO GLORIA

IVAIR DE OLIVEIRA