segunda-feira, fevereiro 21, 2011

"Todos" pelo Centenário?


Antes de sair para a universidade hoje pela manhã, fui assistir televisão enquanto comia um pão. E como foi naquele dia que assisti a um programa da Mundial, também assisti a um programa que me levou a reflexões.

Só que agora o programa era da Assembleia de Deus em Belém. Havia algumas pessoas falando sobre como estavam contribuindo para o centenário- faltam noventa e oito dias para a festa-, e já estava chegando o momento de ir para o intervalo. Então, o pastor (apresentador do programa) disse algo assim: "É isso, você que ainda não participa desta grande mobilização, não perca tempo: se una a nós. Não estou falando somente com os evangélicos...Você católico e você de outra denominação pode se unir a nós- é uma festa de Belém do Pará."[1]

Isso me fez pensar em algo muito simples: o principal argumento dos pastores para pedir contribuição de qualquer pessoa-seja evangélico, católico e quem quiser participar- é que a Assembleia de Deus faz parte do patrimônio histórico de Belém, ou seja, é dever de todo cidadão zelar pela sua história. Mas a pergunta é: se os católicos ou os maçons estivessem se mobilizando para realizar a festa deles, os assembleianos se uniriam a eles neste propósito- os cristãos contribuiriam para edificar um novo templo para a idolatria?

Eu deixo a pergunta no ar... Mas desde já respondo que não daria nem um centavo para construir um templo para a idolatria- seja para católicos, espíritas, maçons ou quem quer que seja.

Que Deus nos perdoe.



Nota:
[1] Não reproduzi exatamente o que o pastor disse. Mas fui fiel no cerne da frase e bem exato no que está grifado.


5 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Nilton Rodolfo,

A Paz do Senhor!

Quando falamos em comunicação, todo cuidado é pouco. Uma situação como essa, cria justamente uma expectativa, como a que vc. sugestionou.

Na realidade é uma falsa expectativa, pois nenhum cristão verdadeiro, contribuiria para um templo ou qualquer organização que trabalhe em pról da idolatria.

Creio que o apelo deve se restringir aos assembleianos, no entanto, se alguém voluntariamente assim sentir de fazer, não seria de bom tom rejeitar, mas o pedido de contribuição indiscriminado pode gerar a falsa expectativa da reciprocidade.

Parabéns pela crítica construtiva, por sinal muito bem observada, e isso está acontecendo em outros programas que pedem ajuda.

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Mario Sérgio disse...

Excelente reflexão. Nesse negócio de pedir dinheiro, cada vez mais se ascende uma vela pra Deus e outra pro Diabo.

Abraços!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Importante artigo meu amigo!

Não há dúvida que diante de tanta expectativa por tal evento, não se atente pra o discurso proferido, um discurso que por vezes não é biblicamente saudável e produz horríveis consequências.

Forte abraço e Deus te abençoe!

Fábio José Lima disse...

Graça e Paz Nilton e companheiros do GQL,

Sei que o apresentador deve ter falado de momento, meio que sem pensar, olha sabemos que ele é assim mesmo, mas, independente deste seu jeito, concordo com a ideia do post, pois gera nos outros essa ilusão de reciprocidade, já pensaste se os amigos católicos pedirem uma ajudinha para as festividades do Círio de Nazaré, que acontece todo ano no mês de outubro em Belém do Pará?
Agora, fato é, que a desunião dentro da nossa denominação é tamanha que, para mim, vai ser a marca do Centenário.
Algumas filhas se rebelam contra a Mãe, umas aceitam a maternidade, outras questionam e assim vai...
O pior é que vai ter filha com quase 90 anos dizendo que a festa é dela, da filha e não da Mãe.
Não me venham com o "papinho" de que a festa é de todos e por aí vai, seria de todos se, pelo menos, respeitassem a Igreja de Belém do Pará, onde tudo começou.
Olha, posso falar isso, sem medo de errar, pois sei o que passo aqui em São Paulo, justamente dentro de um Ministério que tenta ser o "pirata", a todo custo, da Igreja Mãe, até o nome dos templos eles colocam AD Belém, a meu ver isso induz a pessoa ao erro pela semelhança de nomes, minha mãe foi uma que caiu nessa "armadilha".
Sei que alguém pode até pensar que é bobagem tudo o que falei, mas só sente a dor do calo quem põe o sapato no pé...
Para acabar, não contribuiria, também, com qualquer arrecadação que fosse para uma instituição evangélica onde a Verdade de Cristo não fosse pregada.
Fiquem na Paz.
Assembleia de Deus Rumo ao Centenário.

Nilton Rodolfo disse...

Agradeço pela participação dos irmãos no GQL- é sempre uma honra vê-los por aqui.

Gostaria de usar a frase do Pr. Carlos para resumir este artigo (ela até poderia ser acrescentada ao artigo rsrs):

"Creio que o apelo deve se restringir aos assembleianos, no entanto, se alguém voluntariamente assim sentir de fazer, não seria de bom tom rejeitar, mas o pedido de contribuição indiscriminado pode gerar a falsa expectativa da reciprocidade."

Concordo, também, com as palavras do irmão Fábio:

"Não me venham com o 'papinho' de que a festa é de todos e por aí vai, seria de todos se, pelo menos, respeitassem a Igreja de Belém do Pará, onde tudo começou."

Oremos e trabalhemos para que esta festa seja marcada pela glória de Deus e nossa alegria nEle. Que sejam dias de amor e união entre os irmãos. Espero, sinceramente, que nenhuma "filha" rejeite sua "mãe"; e nem que esta Mãe, despreze suas filhas.

A paz do Senhor a todos- porque somente genuinamente nesta paz, poderemos dizer: "Assembleia de Deus Rumo ao Centenário!"