segunda-feira, maio 09, 2011

Sem Mais Desculpas!



Quando nos esforçamos para viver uma vida santa, quando estamos desenvolvendo um dia sem erros e estamos andando segundo a vontade de Deus, O Espírito Santo que opera em nós está mortificando o pecado, o está sufocando, porém quando o pecado pede para “respirar” nós somos os primeiros a correr em seu socorro e lhe dar uma garrafa de práticas carnais para reabastecer seu fôlego.

Através de minha própria experiência de meditação e tempo com Deus, apesar de minha insuficiência, esse maravilhoso e misericordioso Deus através da sua graça tem me mostrado o quão excelente pode ser a vida cristã se seguirmos as recomendações de sua palavra,tem colocado em meu coração que devo buscar essa plenitude com todo meu folêgo, o quão excelente pode ser a vida cristã para o cristão “que antes tem seu prazer na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite” mas “não anda segundo o conselho dos ímpios nem se detém no caminho dos pecadores;nem se assenta na roda dos escarnecedores” e nós fazemos isso toda as vezes que abrimos concessões ao pecado, quando abrimos uma brecha de suspiro para ele respirar afinal que maior ímpio existe se não o próprio pecado que existe em mim?E que maior pecador existe que eu mesmo?E que maior escárnio posso ter prazer do que aquele que procede de minha própria mente, após o pecado incendiar meu coração?

Quantas vezes por dia não nos aconselhamos com nosso próprio pecado quando escolhemos fazer aquilo que Deus nos diz para não fazer?Quantas vezes por dia não ziguezagueamos entre o perfeito caminho e o caminho dos pecadores quando damos as mãos o pecado para que ele guie nossas ações e seguimos nossa carne?Quantas vezes não nos assentamos com ele para conversar e escarnecer às vezes do próprio Deus quando julgamos que “aquele irmão quer ser santo demais”quando isso deveria ser motivo de nossa alegria?

Creio que o problema está na própria ilusão que o pecado tem gerado em mentes e corações e o mesmo consegue tal feito devido aos cristãos negligenciarem três fatos:

1)O pecado é seu pior inimigo e ele avança território a cada descuido.

2)Por esse motivo a guerra contra o pecado não pode ter tréguas.

3)A mínima trégua.

A ilusão que o pecado gera devido a negligência é um efeito progressivo que gera ainda mais negligência, tal ilusão que o pecado coloca em nossas mentes é que :A plenitude da vida cristã pode ser adquirida somente através do conhecimento.Muitos crentes tem caído nisso, podemos observar que essa questão não se dá somente com crentes fracos, muito pelo ao contrário, a negligência contra a guerra sem tréguas que travamos contra o pecado, surge da soberba que muitos crentes tem em achar que por conhecer uma porção tão minúscula visto a infinita proporção da Palavra de Deus, são superiores a muitos e por isso possuem algum crédito com Deus por seus próprios méritos e por isso estão aptos a cometer alguns “deslizes”, e alguns são bem experientes em controlar seus pontos!

“A excelência de um crente não se baseia no quanto ele conhece, mas naquilo que assimila e que é transformado dentro de sua alma”. Essa verdade escrita por John Owen é a que muitos cristãos tem esquecido.O pecado tem enganado a muitos a viver uma vida superficial baseada unicamente em intelectualidade, faz com eles acham que por que falam grego, hebraico e possuem um curso teológico já contemplaram muito da glória de Deus. Esqueceram que “Meditar em Deus no Evangelho não é desvelar a Sua glória essencial para que O vejamos como é. É, ao contrário, declarar que o tanto de Deus que ele conhece é suficiente para formar o fundamento da nossa fé, amor, obediência e para nos achegarmos a Ele. Esta é a fé que Ele espera de nós nesse mundo.”¹

“Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem. Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta?”Tg2:17-20

Não me entendam mal que leiamos, bons livros, que meditemos incansavelmente dia após dia nas escrituras, pois não existe vida cristã sem isso, não existe outro meio de conhecer a Deus a não ser pela Sua Palavra,e homens que tiveram uma grande experiência de piedade podem nos ajudar e muito. Porém a Palavra de Deus é viva e produz vida. Devemos analisar se nossos corações não andam frios se não andamos cheios de auto confiança achando que podemos parar um pouco de lutar contra o pecado e ceder um pouquinho; como se cada ação pecaminosa pelo mínimo que seja não desencadeasse reações em nossos corações que nós por arrogância dizemos conhecer, mas não temos a menor idéia do quanto de território o pecado avança em cada descuido, o que muitos só descobrirão quando estiverem atormentados e sem forças para lutar, no fundo do poço e no ápice do sofrimento que tais possam clamar a Deus como Israel o fez “Temos pecado; faze-nos tudo quanto te parecer bem; porém livra-nos ainda dessa vez, te rogamos”.

Por isso eu peço meus irmãos: Sem mais desculpas para pecar! Sem mais desculpas para deixar o seu pecado respirar, sem mais auto confiança ao dizer “eu posso fazer isso estou firme o suficiente, não irei cair por tal besteira”. Se você soubesse o quanto você ofende a Deus com seu pecado, o quanto você despreza o sangue de Cristo derramado por você na cruz cada vez que peca, você lutaria e clamaria ao Espírito Santo para não realizar tal ato. Ou você é realmente arrogante em achar que o seu pecado porque você é salvo (Isso se realmente o é) é menos ofensivo a Deus? Ao contrário quando você peca você despreza o amor e o Filho de Deus na cruz, porém que demos graças e rendamos glória ao Senhor pela Sua paciência e perseverança em Salvar os Seus, rendamos glória ao Senhor por operar em nós a boa obra e ser paciente para com os Seus eleitos. Que Demos glória a Cristo por desviar a ira do Pai para si e nos livrar de tão temível e horrível ira. Rendamos glória a Cristo por trazer sobre nós justificação e amor.

Nos esforcemos em alcançar a plenitude da vida cristã, não com esforço próprio pois todo o esforço próprio é inútil, mas sim pela graça e ação do Espírito Santo de Deus Podemos lutar para praticar a palavra e viver em santidade e não se engane uma vida de santidade é sinônimo de prática e esforço pela ação do Espírito. Quantos de nós tem pedido com todo o fôlego:

“Senhor me faz viver a vida cristã de forma plena em Ti, me torna mais santo, mais dedicado a Ti, mais submisso aos Teus propósitos. Espírito Santo mortifica o pecado que habita em mim, livra-me da soberba e do mal, não permita que eu despreze o sacrifício de Cristo na Cruz. Torna-me mais cristão”? Às vezes estamos preocupados e cegos demais para isso e por isso sofremos tanto e somos tão negligentes na vida cristã.

Entendam meus irmãos que o conhecer sem praticar não é conhecer, entendam que sem obras a fé é morta, entendam que vivendo uma vida fria e alheia da existência do pecado e de seu perigo, não é possível viver de forma plena a vida cristã, pois fazer isso é desprezar o Espírito Santo, e a necessidade de conhecermos ao único Salvador, Jesus Cristo o Filho de Deus.

Por isso eu peço meus irmãos tenham consciência do pecado que habita em vocês, clamem ao Espírito Santo para mortificar o mal que habita em nós,busque a prática de uma vida piedosa, oremos como Cristo nos ensinou "livra-nos do mal", não dêem trégua para o pecado que habita em você. Sem mais desculpas!

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus." 1Co 10:31

“Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado. Porque aquele que está morto está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos; Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele. Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça..” Romanos 6:14


Por J.C.Ferreira

Solus Christus

Notas:

John Owen, Triunfo Sobre A Tentação(Brasília, BSB,Editora Palavra, 2009)

3 comentários:

Geisi disse...

A Paz do Senhor Jesus!

Irmão Janyson, parabéns pela postagem. Palavras abençoadas!

Ismael Mendonça disse...

A paz do Senhor !
Pois é Janyson... Não devemos mesmo dar trégua alguma, precisamos nos afastar do pecado, para ter a presença de Deus em nossas vidas, Assim como Abraão teve. Lembrei agora que quando Ló partiu para as campinas ele foi sem a presença de Deus,e as campinas tornaram-se em deserto, com Abraão foi o contrário.
Deus te abençoe sempre mano!
abraço e a Paz !

Janyson Costa disse...

A Paz do Senhor!
Irmã Geisi e irmão Ismael agradecemos a recente presença de vocês não só no blog, mas no nosso círculo de amizade,vocês são presentes de Deus.

Na guerra contra o pecado o próprio status e consequências de morte nos mostram a seriedade do combate.
Que Deus nos de Graça e misericórdia para a batalha.

Que Deus lhes abençoe!