terça-feira, maio 24, 2011

GQL: um milagre de Deus (2)




Victor, o amigo "indesejável".

"Alguns meses se passaram após eu e Renan termos começado a participar do grupo de adolescentes da igreja. E tudo estava aparentemente muito bom. Lembro que os nossos cultos eram muito legais, engraçados e repletos de fortes emoções- as lágrimas e os brados de louvor eram muito comuns em nosso meio. Lembro que, mesmo estando já há um bom tempo no meio daqueles adolescentes, eu olhava ao meu redor e achava que eu era um dos piores pecadores de lá- porque eu não havia possuído a maioria das experiências deles. Tal fato me faz recordar de uma reunião em particular: eu e Renan estávamos com outras cinco ou seis pessoas- era uma reunião de grupo pequeno-; e em algum momento da reunião quase todas estas pessoas começaram a falar em línguas estranhas- uma das meninas começou a profetizar também. Entretanto, eu não estava sentindo nada de diferente- até pensei que poderia falar em línguas naquele momento, mas nenhuma palavra diferente veio à minha mente. Abri um olho e olhei direto para Renan- ele também estava quieto... Parecia que nós dois éramos os únicos 'frios' do grupo.

"E foi em meio a todo este contexto que algo aconteceu num dia que tinha tudo para ser comum- mas não foi. Deixe-me explicar:

"Eu e um de meus primos estávamos num culto de adolescentes como de costume. Estávamos cantando normalmente durante o louvor, até que avistamos um rapaz dançando de modo muito estranho lá pelos primeiros bancos do auditório. E o interessante é que a música eranormal- ela não possuía um ritmo que nos levasse a danças... Mas aquele estranho continuava dançando- ele fazia uns passos engraçados, pareciam com aqueles de discoteca. Lembro que meu primo até o apelidou de 'macaco'- devido às suas extravagâncias.

"Alguns dias depois eu havia ido comprar alguma coisa para a minha mãe perto de casa; e cruzei o caminho logo com quem: o macaco. Depois até comentei com o meu primo: 'Érico, nem sabes... O macaco mora perto de casa- até que ele parecia normal'. E isso foi muito importante, pois foi porque soube que aquele novato morava perto de casa, que alguns dias depois o convidei para participar do mesmo grupo menor que eu fazia parte.

"Lembro que Victor- outrora chamado de 'macaco' por mim, meu primo e Renan- foi pela primeira vez para o grupo menor numa reunião em que houve uma série de problemas entre algumas meninas do grupo e o líder. Isto foi tão sério que o líder até foi embora da casa onde era a reunião. E eu havia ficado sem graça pelo Victor e por uma menina que também estava lá pela primeira vez... Mas pela soberania de Deus, começava aí a nossa amizade..." [1]

Enquanto escrevia este post dei algumas risadas- algumas imagens de quando vi o Victor dançando naquele culto vieram à minha mente. Mas também fiquei muito grato por poder relembrar pontos importantes da minha vida e da de meus amigos, e glorificar a Deus pela Sua infinita graça. Pois bem, ainda há muito para ser dito. Mas agora gostaria de pontuar algumas coisas:

- O "macaco" também é um dos meus maiores amigos hoje. Eu o considero como um dos maiores canais de bênção na minha adolescência (agora ele está mais fraco rsrs... Brincadeira, ele ainda continua sendo uma bênção para mim sim).

- Deus usou o Victor para me mostrar que a minha teologia na época não passava de hipocrisia... Ele apareceu para "acabar com a minha festa"- eu era visto como um dos maiores exemplos de adolescente cristão (pelo menos por meus amigos, é claro...). Sou eternamente grato a Deus por isso- até porque se Deus usou uma jumenta, por que Ele não poderia usar um macaco também?

- Classifiquei Victor como o "amigo indesejado" pelo seguinte motivo: nenhuma pessoa tem prazer em ter o seu pecado confrontado- ainda mais quando tal pessoa tem uma boa reputação perante os amigos. Mas era esse confronto de pecado que Victor fazia constantemente[2]. Então, ele era "indesejado" não no sentido de como se eu lamentasse por ser seu amigo- jamais; e sim no sentindo em que ninguém o queria por perto.[3]

- Aprendi muito com o "fariseu"[4] do Victor, mas também tivemos que amadurecer muito durante estes anos. Mas graças a Deus por tudo, porque Ele sempre Se mostrou fiel em nos repreender e corrigir.

-Mesmo depois de mais de sete anos de amizade, continuamos amigos, crentes e membros do GQL.

"Melhor é a repreensão franca do que o amor encoberto. Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos." (Provérbios 27.5,6)

Que Deus nos perdoe.

Notas:
[1] Peço que os irmãos tenham paciência para entenderem esta história melhor ao longo de cada postagem.
[2] Claro que nem sempre Victor era irrepreensível. Ainda havia muita imaturidade em algumas coisas. Mas em geral, ele "acabava com a festa de todo mundo".
[3] O interessante é que depois de um tempo, não somente Victor era indesejado pela maioria; e sim os seus amigos também.
[4] "Fariseu" é muito usado entre nós. Dependendo do contexto, pode ser desde "hipócrita" a "amigo" rsrs. Nesse caso, é fariseu de "amigo" mesmo.


9 comentários:

Gutierres Siqueira disse...

Muito bom quando uma amizade começa com amadurecimento. Isso é sinal de qualidade.

Parabéns ao GQL!

Victor Leonardo Barbosa disse...

Seria bom explicar como foi que a famosa imagem do "macaco" foi alterada, hehe.

Um grande abraço meu amigo!

Nilton Rodolfo disse...

Relaxa, estas são cenas dos próximos capítulos. Abraço.

MANANCIAL disse...

A paz do senhor é uma benção teu blog .acesse hoje o nosso blog ,seja um seguidor do nosso blog .eu farei o mesmo .juntos faremos a diferença .que Deus abençoe . http://www.manacialjovem.blogspot.com/

Haroldo Azevedo disse...

VALEU AMADO, Nilton Rodolfo, que Deus em Cristo abençoe cada vez mais o CQL.

Ednaldo disse...

Mas que macacada, Nilton!!!

Já sei, o Victor quebrou o maior galho!!

Muito legais essa memórias, ajudam a firmar as amizades!!!


Pergunta: O Victor ainda dança??

Fiquem na Paz,

Ednaldo

Nilton Rodolfo disse...

Pois é... O Victor não dança mais rsrs... Nos próximos episódios eu explico isso melhor- se é que esta história não vai ser contada "tão bem quanto a do seriado Lost". Abraço.

Renan Diniz disse...

Belo post Roldolfo..

Amigo Vitor, Glória a Deus pela sua amizade.

Deus te abençoe meu irmão.

AFF disse...

Altas macacadas em Victor. Bom saber dessas histórias. Deus abençoe!